Nascimento, treinador do Sporting da Covilhã, confia na «raça e espírito de sacrifício» da equipa para vencer domingo o Belenenses e ficar mais perto da manutenção na Liga de Honra em futebol, apesar das várias baixas no plantel.

«O pensamento é ganhar sempre, até porque não temos margem para falhar», salienta Nascimento, em declarações à agência Lusa.

No entanto, o técnico frisa a série de bons resultados do adversário e as inesperadas contrariedades que vai ter de gerir.

«Vai ser muito difícil para nós, porque temos muitos jogadores lesionados, outro que saiu sem esperarmos , mas acredito na união, na raça e no espírito de sacrifício da minha equipa, como tem acontecido», sublinha Nascimento.

Para a receção ao Belenenses o treinador não pode contar com o central Gegé, o ponta-de-lança Dominic, o médio defensivo Ídris e o extremo Gui, todos lesionados e os dois últimos indisponíveis até ao final da temporada.

Chula, titular no "onze" de Nascimento, deixou ontem o clube, onde estava emprestado pelo Leiria, depois de ter rescindido com o clube do Lis.

«São baixas de vulto, só que é com os que temos que vamos jogar e espero que a minha equipa tenha uma alma guerreira nos 90 minutos», salienta o timoneiro dos "leões da serra".

Na penúltima jornada da Liga de Honra o Sporting da Covilhã, último classificado, com os mesmos 30 pontos do Freamunde, defronta o Belenenses no Complexo Desportivo da Covilhã, às 16h00, numa partida em que Rui Nascimento espera «forte apoio dos adeptos».

«Espero que o estádio esteja todo verde e branco», apela.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.