O CD Trofense, da Liga de Honra de futebol, vai a votos dentro de 10 a 15 dias revelou hoje o presidente da mesa da Assembleia Geral, numa sessão de dez minutos com os associados que acabou com os ânimos exaltados.

De acordo com fonte do clube, no interior da sala alguns sócios mostraram-se indignados pelo facto de o presidente da mesa, Armando Dias, ter decidido suspender a AG, invocando que o ponto único «já não fazia sentido discutir-se», e com a ausência de Rui Silva, presidente demissionário, que, tal como aconteceu a 13 de Junho, não compareceu na reunião.

O ponto único da ordem de trabalhos era «autorizar a direcção do clube a negociar com a banca e onerar bens imóveis do clube nos prazos e condições que entender», mas na véspera o presidente do clube anunciou que os bancos não aprovaram a operação que visava trocar o seu aval pessoal de 2,5 milhões de euros por uma garantia patrimonial do clube e, por isso, não tinha condições de permanecer no cargo.

A AG de hoje foi conduzida por Armando Dias à porta fechada. O presidente da mesa não quis prestar declarações aos jornalistas no final da sessão, remetendo mais esclarecimentos para um comunicado a publicar posteriormente.

Armando Dias ainda terá dado a palavra a alguns associados e explicado que agora virá pela frente um período para entrega de listas. Prevê-se que a marcação de eleições seja feita na próxima semana e que o acto eleitoral decorra dentro de 10/15 dias.

No final da AG de 13 de Junho, Armando Dias disse à Agência Lusa que, caso Rui Silve decidisse não continuar, estaria disposto a encabeçar uma Comissão Administrativa Provisória, cenário que não está fora de hipótese, embora seja sabido na Trofa que um grupo de sócios ligado ao sector empresarial do concelho têm intenção de apresentar uma lista a eleições. Os nomes não foram, para já, revelados.

Não é conhecido, também, para já o novo técnico do CD Trofense, sendo certo que Porfírio Amorim, treinador que na época 2010/11 deixou o clube no terceiro posto a um ponto do acesso à Liga, decidiu sair da equipa técnica quando tomou conhecimento da saída de Rui Silva.

Fonte ligada à direção adiantou à Lusa que a data para início dos trabalhos da equipa sénior não é conhecida. Os jogadores com contrato e que transitam da última época para 2011/12 são cerca de dez. «Os restantes estão livres para procurar clube ou aguardar que haja fumo branco nos órgãos diretivos», revelou a mesma fonte.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.