O União da Madeira venceu hoje o Académico de Viseu por 5-3, em jogo da 15.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol, disputado no estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava.

O jogo, e a derrota, deixou o líder, Académico de Viseu, dependente de outros resultados, nomeadamente do Famalicão e Santa Clara, para manter a condição na frente da tabela, além da equipa viseense perder, para já, o estatuto de menos batida.

Na Ribeira Brava, o favoritismo dos visitantes não se confirmado, com o ‘aflito’ União de Madeira a marcar cinco golos, sobressaindo o ‘hat trick’ do avançado brasileiro Luan, a que se juntaram os golos de Gonçalo Abreu e Júnior Sena,

O líder da II Liga não perdia há cinco jogos (duas vitórias e três empates), enquanto que o União da Madeira vinha de quatro derrotas consecutivas na prova.

Com uns primeiros minutos eletrizantes, foi o União da Madeira a primeira equipa a chegar ao golo, logo aos oito minutos, por Luan Santos, depois de Capela atrasar mal para Peçanha cedendo canto, do qual resultou o 1-0, por Luan.

Praticamente na resposta, o árbitro assinalou grande penalidade, num lance entre Tony e João Mário, e Zé Paulo, na conversão do castigo, repôs a igualdade, aos dez minutos, instantes antes de Sandro Lima fazer o 1-2 para o Académico de Viseu.

O jogo continuava intenso e aos 18 minutos, nova igualdade, com Gonçalo Abreu a fazer o 2-2, após um centro de Júnior Sena, num lance onde Peçanha não foi feliz.

Viveram-se muitos lances de perigo, com oportunidades de parte a parte: aos 34 Júnior Sena podia ter dado vantagem ao União, e aos 36 foi Fernando Ferreira, do lado viseense, a cabecear uma bola que saiu junto ao poste.

A segunda parte começou com um ritmo mais lento, mas foi o União da Madeira a voltar novamente para a liderança do marcador, com Luan Santos num lance de insistência a voltar a bater Peçanha, estavam decorridos 55 minutos.

Os madeirenses voltaram a marcar, três minutos volvidos, aos 58, com origem num lance onde Christophe Nduwarugira, Fábio Santos e o árbitro chocaram, a bola sobrou para Luan Santos que galgou alguns metros e rematou sem hipóteses para Peçanha.

Francisco Chaló arriscou, retirando o lateral direito Joel e fazendo entrando o avançado Luís Barry. Contudo, fosse qual fosse a intenção ficou diluída, pois no mesmo minuto, num rápido desenvolvimento ofensivo, Gonçalo Abreu centrou com qualidade, surgindo Júnior Sena a cabecear de forma imparável, dilatando a vantagem (5-2).

Os viseenses ainda reduziram, por Luís Barry, após centro de Avto, aos 72 minutos. Nos minutos finais, Tony esteve em grande, negando o golo a Luís Barry (78) e Yuri (85), que poderiam ter relançado os últimos minutos do jogo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.