"Jogámos com inteligência, explorámos o que eram as nossas melhores capacidades e obrigámos os húngaros a cometerem mais erros", explicou Carlos Queiroz no 'flash-interview' após a vitória lusa no Estádio da Luz.

O seleccionador elogiou a "boa exibição" da equipa e não escondeu o contentamento por Portugal depender agora apenas de si para chegar ao Mundial 2010. "Estamos no sprint final de uma longa maratona. Estamos bem posicionados. Ganhámos e estamos satisfeitos", afirmou o treinador português, recusando que este triunfo seja o início de uma viragem na equipa das quinas: "A viragem aconteceu há muito tempo com o resultado que fomos buscar à suécia e dinamarca. Hoje juntámos o mérito de jogar bem ao de ganhar."

O Estádio da Luz contou esta noite com mais de 50 mil pessoas e Carlos Queiroz pretende ver nova casa cheia em Guimarães, na quarta-feira, para o jogo decisivo com Malta. "O apelo que eu e os jogadores fazemos é que vale a pena acreditar na selecção. Quanto mais difíceis as coisas, melhor o empenhamento e é nossa obrigação conquistar o respeito dos que estão hesitantes", sublinhou.

O optimismo do técnico só é condicionado pelas dúvidas sobre a condição física de Cristiano Ronaldo, que se terá ressentido da lesão no tornozelo e teve de sair ainda na primeira parte do jogo com a Hungria. "Vamos ver, temos de analisar o que realmente aconteceu", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.