«Nessa Assembleia-Geral, é bom que os sócios da federação percebam que o futebol precisa de partir para uma vida nova. Uma vida de participação, transparência e abertura», observou Laurentino Dias, à margem da audição na comissão parlamentar de Educação e Ciência, na Assembleia da República.

O secretário de Estado com a pasta do Desporto advertiu que já espera «há demasiado tempo» pela adequação dos estatutos da FPF à legislação em vigor, apesar de ter vindo a notar «uma evolução positiva».

«Espero que a minha próxima decisão seja revogar o despacho (de suspensão da utilidade pública desportiva) e ver o futebol a funcionar como deve», sustentou Laurentino Dias, antecipando a reunião magna federativa, convocada pela Liga de clubes para votação e alteração dos estatutos.

Questionado durante a sessão parlamentar sobre a presença de membros da Federação Internacional de Futebol (FIFA) e da União Europeia de Futebol (UEFA), o governante abreviou: «Não tenho nada a ver com a FIFA e a UEFA. Não fui eu que as mandei vir».

Laurentino Dias justificou a ausência no Conselho de Presidentes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, marcado para quinta-feira, com base na necessidade de os responsáveis da modalidade tomaram as decisões «sem constrangimentos».

«Agradeci o convite, mas recusei-o. É preciso que o futebol faça as suas discussões no seu íntimo, sem o constrangimento da presença de um membro do Governo», assinalou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.