A avançada portuguesa Edite Fernandes inaugurou o marcador, aos 22 minutos, mas a resposta finlandesa foi rápida e eficaz.

Laura Osterberg Kalmari empatou a partida, quatro minutos depois, e, no último minuto do primeiro tempo, colocou a Finlândia a vencer, por 2-1, na conversão de uma grande penalidade.

A mesma jogadora assinou um “hat-trick”, aos 58 minutos, e Linda Sällström, aos 70, fixou o resultado (4-1) que, apesar de expressivo, foi considerado justo pela seleccionadora portuguesa.

"A derrota não deixa de ser pesada, mas é justa, devido à capacidade de resposta evidenciada pelas adversárias (…) que defenderam muito bem, anularam a capacidade ofensiva das jogadoras mais criativas que temos e souberam aproveitar melhor as oportunidades criadas", explicou Mónica Jorge.

A seleccionadora lusa elogiou a “primeira parte muito boa”, lamentando a ineficácia ofensiva e “alguns erros individuais acabaram por ser fatais”.

Após seis jogos, a equipa das “quinas” ocupa a terceira posição da “poule”, com seis pontos, menos dez do que a Finlândia e a Itália, que “decidem” a vitória no grupo na quarta-feira.

No mesmo dia, Portugal recebe a Eslovénia, que soma os mesmos seis pontos que a equipa das “quinas”, no Cartaxo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.