Skopje, capital da Macedónia, será esta terça-feira palco do reencontro entre Cristiano Ronaldo e José Mourinho, os dois principais representantes de Portugal no futebol internacional. Falamos, como é óbvio, da Supertaça Europeia que coloca frente a frente o Real Madrid, vencedor da Liga dos Campeões, e o Manchester United, vencedor da Liga Europa.

O internacional português era a grande dúvida nos ‘merengues’ para o confronto com a antiga equipa (e o antigo treinador), uma vez que só tem três dias de trabalho após mais de um mês de férias, mas acabou mesmo por ser chamado por Zinédine Zidane. E o francês já garantiu que pode ir a jogo.

“Passaram-se muitas coisas e muito ruído, como sempre, mas está tranquilo. O que mais me impressiona é que fisicamente está como no dia da final, há dois meses. O que me interessa a mim e a ele é isso. Que esteja connosco significa muito e está para jogar”, disse o francês, em conferência de imprensa.

Esta é a primeira vez que Mourinho, enquanto treinador dos ‘red devils’, encontra Ronaldo, de forma oficial, quatro anos depois da passagem pelos ‘blancos’. A relação entre ambos, como se sabe, nem sempre foi pacífica, mas os ânimos já serenaram e esta segunda-feira o técnico português negou qualquer mal-estar que pudesse existir relativamente aos jogadores do Real Madrid.

"Com alguns mantenho uma relação, e com outros não. Não só com os do Real Madrid, mas também os do Chelsea, Inter e FC Porto. Se os encontrar na rua, cumprimento-os", disse Mourinho, na conferência de antevisão do duelo desta terça-feira, ele que nunca conquistou a Supertaça europeia na carreira - perdeu em 2003, pelo FC Porto, e em 2013, pelo Chelsea .

Por isso mesmo, o ‘special one’ preferiu adotar um discurso mais cauteloso, mesmo com as boas indicações trazidas da pré-época. "Os nossos jogadores não têm muita experiência em grandes jogos europeus. É um novo Manchester United, uma nova geração de jogadores” frente àquela que considera ser “a melhor equipa da Europa”.

Reforçada com três contratações ‘milionárias’ – o central Victor Lindelof (ex-Benfica), o médio Nemanja Matic (ex-Chelsea) e o avançado Romelu Lukaku (ex-Everton) – os 'red devils' chegam à Macedónia sem os defesas Phil Jones e Eric Bailly, ambos castigados.

Do outro lado está o Real Madrid, primeira equipa a conseguir dois títulos consecutivos na ‘era’ Liga dos Campeões, que disputa a Supertaça Europeia pela terceira vez em quatro anos e procura, assim, juntar mais um troféu ao seu palmarés (venceu em 2016, 2014 e 2002). Já com duas Champions no currículo, Zidane, que também se cruzou com 'Mou' nos 'merengues' - na altura como diretor desportivo - também preferiu enveredar pelo mesmo caminho de ‘Mou’ e rejeitou comparações com o trabalho do português no Santiago Bernabéu.

“Cada um tem a sua maneira de treinar, mas há diferenças entre as equipas. O que se tem de fazer no Real Madrid é dar 100 por cento. Mourinho fez um bom trabalho e eu estou a fazer um bom trabalho também. Ganhei duas Champions, mas isso não significa que seja um génio. Isso são disparates”, referiu.

A Supertaça Europeia disputa-se no estádio Gradski, em Skopje, a partir das 19h45 e será arbitrada pelo italiano Gianluca Rocchi. De referir que este será o 11.º encontro entre as duas equipas nas competições europeias, com o Real Madrid a levar vantagem no confronto direto, com quatro triunfos, contra duas derrotas, além de se terem registado quatro empates.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.