A única ´cura` possível para o trauma de quarta-feira do Benfica está nas mãos do SC Braga e Vitória de Setúbal. Os ´encarnados` não venceram qualquer encontro oficial esta época disputado a meio da semana e podem ficar apenas com o Campeonato, se o Vitória de Setúbal vencer o SC Braga na sexta-feira, no segundo jogo do Grupo A desta ronda da Taça da Liga. A vitória minhota deixa tudo em aberto, mas com a formação de Abel Ferreira a depender de si para garantir as meias-finais da Taça da Liga. Os de Rui Vitória vão permanecer em ´quarentena` até sexta-feira para saber se há cura para a ´quarta-feirite` crónica que assolou a equipa esta temporada ou se ficam já arredados de mais uma prova, depois do adeus às provas europeias e à Taça de Portugal.

O jogo: A bola era parada, mas era preciso a defesa mexer-se...

Esta aversão a jogos a meio da semana conheceu o seu capítulo mais negro na Liga dos Campeões, onde o Benfica, cabeça-de-série, não logrou qualquer ponto no Grupo A. Os comandados de Rui Vitória somaram por derrotas todos os seus encontros disputados, frente ao CSKA Moscovo, Basileia e Manchester United. É verdade que metade desses jogos foram à terça-feira, mas os maus resultados à quarta foram sendo confirmadas nos jogos das Taças em Portugal: empate a zero bolas na primeira ronda da Taça da Liga em casa com o SC Braga, eliminação da Taça de Portugal frente ao Rio Ave também a um quarta-feira e agora este empate 2-2 em casa com um Portimonense em poupanças, isso depois de estar a vencer por 2-0.

Quem viu a primeira parte, e principalmente aquela entrada ´a matar` com golo logo aos 55 segundos, podia pensar que a Luz ia ver mais uma goleada da equipa de Rui Vitória, depois da que aplicou no domingo passado ao Tondela. Puro engano.

Mas a primeira parte prometia isso mesmo. O 21.º golo de Jonas esta época anunciava uma noite em grande e quando Lisandro López fez o 2-0 aos 33, poucos acreditavam que o Benfica não fosse capaz de vencer a partida. Até porque o Portimonense jogava com uma equipa diferente da habitual, com Vítor Oliveira a lançar apenas três jogadores que tinham sido titulares na derrota em Alvalade no domingo passado. Já o Benfica mudava pouco, com as entradas de Svilar para a baliza, Rúben Dias para central, Samaris para médio defensivo e Zivkovic no lugar de Cervi. O núcleo duro mantinha-se.

Os 21.355 espetadores presentes na Luz até estavam entretidos nos primeiros 45 minutos. Não fosse a falta de pontaria de Pizzi e Salvio, o Benfica podia ter ido para o intervalo a golear. Só que, ao contrário de outras épocas, a defesa vai falhando muito e os adversários não se têm mostrado tão perdulários. Svilar evitou o 1-2 num lance em que Lisandro cabeceia para trás na área ´encarnada` antes do primeiro tempo, com Pires a recargar à barra.

E como o Benfica não ´matou` o jogo, os algarvios acreditaram que podiam sair da Luz com algo para contar. Os lances de bola parada tornaram-se fatais, com o Portimonense a reduzir por Pires aos 47 por Pires e a empatar por Jadson aos 85, em dois lances em a defensiva ´encarnada` esteve mal. É verdade que la na frente houve ocasiões para marcar no segundo tempo, mas nem Salvio, nem Diogo Gonçalves nem Seferovic encontraram o caminho do golo em três flagrantes oportunidades.

O Benfica termina o ano civil já fora as provas da UEFA e eliminado das taças nacionais. Na Luz é hora de reflexão. O primeiro lugar da Liga está a apenas três pontos, é verdade, mas tantas derrotas em apenas meia época (apenas 51,9 por cento de vitórias) fazem os adeptos duvidarem da equipa e do treinador. Os assobios após o final frente ao Portimonense indicam isso mesmo. Na próxima ronda da Liga, o Benfica está obrigado a vencer o Sporting para afastar o fantasma da crise. Uma derrota deixará Rui Vitória em muitos ´maus lençóis`.

Momento-chave: Jadson fez disparar os assobios

Em mais um lance de bola parada, a defesa ´encarnada` perdeu no duelo com Pires, Svilar não afastou a bola como podia e Jadson apareceu a encostar para o 2-2, ´gelando` ainda mais a fria noite da Luz. Assobios e muitos para a equipa e para Rui Vitória.

Os melhores: Pires e Jonas mostram que ´velhos são os trapos`

O algarvio relançou o jogo aos 47 num cabeceamento oportuno e ganhou a primeira bola aos 84 antes de Jadson fazer o empate. Não é titular, é certo, mas aos 36 anos continua a mostrar qualidade.
Jonas continua a ´remar` quase sozinho no ataque do Benfica. Mesmo quando a equipa joga mal, o brasileiro de 33 anos é dos poucos que sobressai. Fez um golo, o 21.º em 26 jogos esta época, fez a equipa jogar, veio ajudar no meio-campo, mas não chegou.

Os Piores: Lisandro ´dormiu` nos dois golos algarvios

Apesar de ter feito o segundo golo ´encarnado`, a atuação de Lisandro no centro da defesa foi péssima. Deixou Pires fugir para cabecear no primeiro golo do Portimonense e, no segundo, atacou tarde a bola que o veterano avançado cabeceou para defensa incompleta de Svilar. A poucos dias de receber o Sporting, Rui Vitória precisa rapidamente de corrigir os erros do último sector, principalmente nos lances de bola parada, onde os ´leões` são muito fortes. Com Luisão fora do dérbi, tudo se torna mais difícil.

Reações: Rui Vitória lamenta erros, Vítor Oliveira dá os parabéns à 2.ª linha

Rui Vitória: "Muitas vezes fazemos o bem e o mal na nossa equipa"

Vítor Oliveira: "Os meus jogadores estão de parabéns"

Veja o resumo do jogo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.