Resumo
O Sporting termina o ano com um triunfo. O Varzim foi uma equipa atrevida, mas a superioridade e domínio dos leões nunca esteve em causa e os três pontos ficam em casa. O único golo do encontro da segunda jornada do Grupo A da Taça da Liga foi apontado por Gelson Martins no primeiro tempo. Quanto ao onze titular, na baliza continuou Beto, Esgaio na direita da defesa, com Bruno César a ser a escolha no lado contrário. Na frente, Castaignos teve a companhia do holandês Bas Dost. A vitória coloca o Sporting em boa posição para seguir para a ´final four` da Taça da Liga. Os ´leões` passam a ter seis pontos, contra três do Varzim, Vitória de Setúbal e Arouca. No derradeiro encontro a equipa de Jorge Jesus só precisa de um empate para assegurar o primeiro lugar do Grupo A.

Momento-chave
O golo de Gelson Martins aos 19 minutos. Gelson a combinar com Esgaio, atira ao ângulo, de pé direito, Paulo Vítor ficou pregado ao chão. Está feito o primeiro da noite.

A polémica
Aos 83 minutos, o Sporting pediu penálti por suposta falta de Diego Barcellos sobre Joel Campbell, mas Bruno Paixão entendeu que não houve nada e mandou seguir.

As figuras (positivo e negativo)
Pelo golo e pela importância do mesmo por ter sido o único, a nota positiva vai para Gelson Martins, que continua a mostrar ser uma peça fundamental e determinante na equipa leonina. No sentido contrário, Luc Castaignos voltou a ter mais uma má exibição, dando provas definitivas de ser um ‘flop’.

As vozes dos protagonistas

Jesus: "Só porque não fizemos o segundo golo. Tivemos várias oportunidades para esse golo que dava mais tranquilidade à equipa. Criámos e não concretizámos. E quando isso acontece estamos sujeitos a sofrer um golo em qualquer situação de contragolpe e isso pode deixar a equipa intranquila. Mas fizemos um jogo razoável após esta paragem, tivemos jogadores num plano interessante."

Bruno César: "O Sporting é uma equipa grande, tem sempre que buscar títulos. É um dos objetivos, sabemos que vai ser difícil, mas temos que jogar contra tudo e contra todos”.

João Eusébio: "Tenho reconhecer que o Sporting foi mais forte. Colocou um ritmo muito alto no jogo e obrigou-nos a um jogo muito exigente. Ainda assim, houve momentos em que podíamos ter acreditado mais no último terço. Se tivéssemos tido outro tipo de critério no ataque podíamos ter feito melhor. Encontrámos uma equipa muito forte, organizada e bem orientada. Tenho de dar os parabéns aos meus jogadores. Foram bravos e mostraram caráter. Faltou critério".

Curiosidades
Esta foi a segunda vitória consecutiva do Sporting, algo que não conseguia há quase um mês; Os Leões terminam o ano que termina hoje com uma média de 0,84 golos sofridos por jogo, o melhor registo desde 2008; Em 2016, o Sporting disputou 50 jogos e somou 32 vitórias, 6 empates, 12 derrotas, 96 golos marcados e 42 sofridos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.