Uma primeira parte em que a defesa deixou a desejar e uma segunda parte de regresso à "normalidade". É desta forma que se pode classificar a vitória do FC Porto sobre o Paços de Ferreira por 3-2. Diego Reyes, Brahimi e Aboubakar fizeram os golos portistas e Luiz Phellype marcou os golos dos pacenses. Com esta vitória, os 'dragões' garantem uma vaga na final four e vão enfrentar o Sporting na meia-final da prova.

O jogo: uma primeira parte menos sólida e uma segunda de controlo

Sérgio Conceição apresentou-se com três alterações no onze portista, promovendo a chamada de Maxi Pereira, Diego Reyes e André André para os lugares de Corona, Felipe e de Danilo Pereira, respetivamente.

Uma equipa mudada mas que se pretendia titular para garantir uma vaga na final four. Petit, por outro lado, apostou numa equipa totalmente nova, com apenas dois jogadores a manterem-se no 'onze', em compensação com o último jogo dos pacenses.

Numa partida disputada a meio campo, André Leão e Gian eram jogadores que estancavam as oportunidades ofensivas do FC Porto, que não estava a conseguir garantir as oportunidades de golo que tantas vezes são criadas pelo conjunto de Sérgio Conceição.

No entanto, houve duas armas que o Paços de Ferreira não conseguiu parar: as bolas paradas e a genialidade individual de um argelino. De um pontapé de canto, Diego Reyes subiu ao último andar e fez o primeiro golo do encontro, enquanto que Brahimi, numa jogada individual, conseguiu marcar o segundo.

Os 'dragões' estavam bem na partida, com uma vantagem confortável, mas depois entrou Luiz Phellype. O avançado brasileiro conseguiu ser mais forte a encontrar espaços e mediante alguma facilidades defensivas, fez dois golos, levando o jogo para o intervalo empatado.

Conceição mexeu na equipa e fez duas alterações, colocando Corona e Aboubabakar, esperando um resultado diferente e o regresso de um FC Porto dominante que não permitia muitas oportunidades aos adversários. E assim foi: Corona assistiu Aboubakar para o terceiro golo da partida e o restante jogo foi gerido da melhor maneira pelos portistas, que tiveram oportunidades para ampliar a vantagem. De forma negativa fica mais uma expulsão nos 'dragões', com Herrera a receber o cartão vermelho direto depois de ter atingido um jogador do Paços de Ferreira com uma cotovelada.

O momento: Substituições de Sérgio Conceição

O FC Porto foi para o intervalo empatado depois de estar a vencer por 2-0. Sérgio Conceição realizou duas substituições que acabaram por ser decisivas, uma pela assistência (Corona) e outra pelo golo (Aboubakar). Acabou por ser o técnico do FC Porto a perceber o que estava a faltar à equipa e acabou por acertar em cheio na decisão de mexer na equipa.

O melhor:

Brahimi: Marcou um golo depois de mais uma jogada individual de grande qualidade. É o 'mágico' de serviço do FC Porto e capaz de desequilíbrios contra qualquer equipa. Mais um bom jogo do argelino.

Luiz Phellype: O avançado brasileiro do Paços de Ferreira terminou o jogo com dois golos apontados ao FC Porto, algo que é raro nos jogos dos 'dragões' esta temporada, nas competições domésticas. A sua determinação e luta por cada bola foram destaques no jogo dos pacenses.

O pior:

Herrera: Estava a ser um dos melhores em campo e colocou-se a jeito, com uma má atitude que lhe valeu o cartão vermelho direto. Com a equipa a vencer por apenas um golo de vantagem, pedia-se mais frieza ao médio mexicano.

Reações:

André André: "Taça da Liga? É mais um título que queremos"

Sérgio Conceição: "Se tivéssemos feito mais um ou dois golos, o jogo seria diferente"

Luiz Phellype: "Foi um detalhe que fez o jogo"

Tiago Oliveira: "Tenho de dar os parabéns à equipa por aquilo que fez"

Veja o resumo do encontro

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.