Delinson Júnior adiantou o Paços, aos 47 minutos, mas Bilel empatou para o Gil, melhor no jogo, aos 58, adiando a decisão para as grandes penalidades, com os pacenses a serem mais competentes e a garantirem o apuramento por Maracás, capitalizando os dois remates desperdiçados pelos forasteiros.

Paços e Gil Vicente apresentaram cinco reforços nos 'onzes' e iniciaram o jogo num ritmo elevado, com os locais a disporem cedo, aos 12 minutos, da primeira e maior situação de golo do primeiro tempo, num cabeceamento de Marco Baixinho após livre frontal.

Os gilistas reagiram e começaram a superiorizar-se, mostrando melhor qualidade com e sem bola, através de uma pressão alta que retirava bola ao adversário e processos de jogo mais solidificados.

André Ferreira, aos 24 minutos, foi lesto a sair da baliza e antecipou-se a Fran Navarro, negando um lance de potencial perigo para a baliza pacense, equipa que ganhou vantagem no marcador no arranque do segundo tempo, por Denilson Júnior, a emendar um passe de Lucas Silva, após lançamento longo de Ibrahim.

O Gil não acusou o golo e acentuou a pressão, ganhando quatro cantos e várias aproximações à baliza de André Ferreira, impotente para impedir o merecido golo do empate, anotado por Bilel, a finalizar uma triangulação envolvendo Pedrinho e Kanya, responsável pela assistência.

Os forasteiros continuaram por cima, face a um Paços cada vez mais reativo, mas a decisão sobre o vencedor só foi encontrada nos penáltis.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto