O FC Porto venceu este sábado o Gafanha no Municipal de Aveiro, por 3-0 e passou à próxima eliminatória da Taça de Portugal.

A equipa do Gafanha, que milita no terceiro escalão, bateu-se bem e teve uma boa réplica, mas o esforço da equipa da acabou por ser insuficiente. Sem fazer uma revolução na equipa, Nuno lançou José Sá, (estreia absoluta do guardião com as cores do FC Porto), Maxi, e Boli. O primeiro remate da partida pertenceu a André Silva logo à passagem dos quatro minutos.

O Gafanha respondeu quatro minutos volvidos. Bola bombeada para a área, com José Sá a ter que socar a bola e depois com Pedro Oliveira a rematar muito por cima. Depois disso, o jogo ficou lento, com a turma nortenha a ter muita dificuldade para se aproximar da baliza. Aos 19 minutos, o FC Porto voltou a criar perigo. Depois de um cruzamento de Otávio, Oliver rematou de primeira, com Diogo a defender a bola com os punhos.

Perante a falta de objetividade portista, a equipa da casa foi ganhando confiança e foi-se paulatinamente aproximando da baliza à guarda de José Sá, ganhando o seu primeiro canto.

Contudo, foi o FC Porto que chegou à vantagem por intermédio de Otavio. Num rápido contra-ataque, Maxi furou pela esquerda e endossou a bola a Otávio que depois de passar por dois adversários, atirou para o primeiro. Golaço do jogador brasileiro. A partir daí, o conjunto azul-e-branco tentou geriu o encontro até ao intervalo, mas nos últimos minutos antes do descanso viveram-se momentos de algum frisson. Aos 43 minutos, Diogo Jota cabeceou ao lado depois de aparecer em excelente posição.

Em cima do intervalo, o Gafanha desperdiçou uma oportunidade clamorosa. Depois de um cruzamento de Renan da direita, Mino atirou por cima.

Na segunda parte, o primeiro tempo abriu com Diogo Almeida a brilhar de forma muito alta na baliza do Gafanha. Primeiro defendeu um míssil de Maxi Pereira, depois ainda conseguiu impedir o golo de Diogo Jota na recarga.

Em relação à primeira parte, a dinâmica de jogo manteve-se a mesma, com o FC Porto a trocar a bola de forma lenta e a revelar pouca acutilância.

Aos 53 minutos, foi novamente Diogo foi chamado novamente à prova, com André Silva a solicitar Diogo Jota que mais uma vez não conseguiu desfeitear o guardião da equipa local.

Aos 66 minutos, Nuno Espírito Santo, gastou as substituições ao lançar Corona, Depoitre e Brahimi para os lugares de André Silva, Otávio e Diogo Jota.

Aos 70 minutos, as alterações tiveram os efeitos desejados, já que o FC Porto marcou o segundo golo da partida. Depois de um canto batido, Marcano fez um desvio ao primeiro poste e Corona apareceu a marcar com o pé esquerdo.

Com o segundo golo, os dragões voltaram a controlar a partida. Rúben Silvestre ainda ameaçou para o Gafanha num remate por cima da baliza.

Em cima do minuto 90, Depoitre fechou as contas. Depois de um bom lance de Corona, a bola chegou direitinha para a cabeça do belga que cabeceou para o fundo da baliza.

Vitória natural do FC Porto, que quando meteu a carne toda no assador na segunda parte, marcou mais dois golos e carimbou assim a passagem à próxima eliminatória da Taça de Portugal. Acabou por faltar pernas à equipa local na parte final.

Onze do FC Porto : José Sá, Maxi, Boly, Marcano, Alex Telles, Herrera, Danilo, Otávio, Óliver, Diogo Jota, André Silva

Suplentes do FC Porto: Casillas, Sérgio, Varela, Brahimi, Depoitre, Corona, João Teixeira

Onze do Gafanha: Diogo; Bem Haja, Adilson, Pedro Santos e Tavares; Maurício, Ellisson, Renan Soares, Pedro Oliveira; Mino e Nadson.

Suplentes do Gafanha: Vítor, Gilson, Breda, Micael, Tiago Dias, Óscar e Rúben.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.