“O FC Porto tem a data de 6 de Janeiro, nós temos alguma dificuldade porque logo no fim-de-semana a seguir temos um jogo com o Portimonense, temos de ir de véspera. Decidimos não acordar nenhuma data e deixar para a Federação”, disse José Godinho, presidente do emblema de Oliveira de Azeméis.

O dirigente mostrou-se um pouco triste por não ter, de alguma forma, aceite a opção que os “dragões” propuseram.

“O FC Porto teve sempre uma relação excepcional comigo. Manifestou sempre o desejo de que se realizasse noutro estádio, mas nós trilhámos outro caminho e foi aqui que chegámos”, sublinhou.

Quanto à criação de um novo estádio, José Godinho espera que “irreversível o processo de construção de um novo estádio”, lamentando que hoje de manhã estivesse bom tempo “e o relvado estava bem, mas depois por azar começou a chover e nunca mais parou”.

Devido ao mau tempo, o encontro entre Oliveirense e FC Porto, a contar para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, com inicio para as 14:30, foi cancelado e será agora a Federação de futebol a reagendar o encontro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.