De vez em quando, e cada vez mais raramente, há um jogo assim, em que ambas as equipas brindam os seus adeptos com espetáculo, emoção e golos para todos os gostos. Foi um jogo em que tanto o Sporting bracarense como o Sporting lisboeta demonstraram argumentos para vencer e continuar na luta pelo troféu. Porém, graças ao golo no prolongamento de Rui Fonte - que corre sérios riscos de ser chamado 'Tom Cruise do Braga' com frequência - foi a equipa de Paulo Fonseca que seguiu em frente.

Bem antes de Rui Fonte, note-se, houve muitos outros 'guerreiros' minhotos que fizeram por merecer este triunfo tão festejado no Municipal de Braga. Rafa Silva foi o maestro dos ataques, destacando-se o grande passe para a finalização fria de Wilson Eduardo perante Rui Patrício. Alan deu ainda mais magia ao jogo com um remate indefensável, assim como Marcelo Goiano, que forçou o prolongamento com um 'tiro' aos 83 minutos.

Mas como no futebol é quase sempre quem marca os golos decisivos que conquista as manchetes e a atenção geral, o grande destaque tem de ir para o suplente de luxo Rui Fonte. O avançado de 25 anos, curiosamente formado no Sporting e agora emprestado pelo arqui-rival Benfica, saltou e cabeceou a bola por entre as pernas de Rui Patrício, levando os adeptos do Braga à completa euforia.

Ainda assim, também do lado do Sporting houve magia, mesmo que no final não tenha sido suficiente. Bryan Ruiz abriu o marcador e esteve muito perto de marcar pelo menos mais um golo. Aquilani demonstrou classe na assistência para o golo de William Carvalho e Slimani voou para inscrever o seu nome na ficha de marcadores. De resto, o argelino só não ficou com um 'bis' no registo porque a equipa de arbitragem viu, já no prolongamento, um fora-de-jogo que não existiu.

Esse tal lance de Slimani, aliás, foi um dos momentos mais comentados após o encontro, com o tribunal a ser unânime: o avançado estava em posição regular, pelo que o lance devia ter sido validado pela equipa liderada por Fábio Veríssimo. O próprio treinador Jorge Jesus fez alusão a isso mesmo, tanto na 'flash interview' como em conferência de imprensa. Paulo Fonseca, por outro lado, preferiu não se alongar, defendendo que um lance, erro de arbitragem ou não, não deve condicionar a forma de ver um jogo de futebol tão espetacular.

E espetáculo foi coisa que não faltou. Do início ao fim o Municipal de Braga vibrou com aquele que terá provavelmente sido o melhor jogo da temporada em Portugal, rivalizando em termos de emoção com a final da prova na última época, entre estas mesmas duas equipas. O Sporting festejou então a conquista do troféu, mas depois de já ter eliminado o rival Benfica fica agora afastado da prova. O Braga, por outro lado, perfila-se como um dos grandes favoritos à conquista da Taça, a par do FC Porto. Terá como grande motivação nas próximas fases a hipótese de levantar um troféu que venceu apenas uma vez, na longínqua época 1965/66.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto