Os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos Tóquios 2020 são para respeitar por todos. Até pela mulher mais rápida do mundo, Elaine Thompson-Herah.

A jamaicana, que venceu a medalha de ouro nos 100 e 200 metros na capital do Japão, viu a sua conta oficial no Instagram bloqueada por tentar postar os vídeos dos seus triunfos nessas finais olímpicas.

"Fui bloqueada no Instagram por postar as minhas corridas nos Jogos Olímpicos (risos) porque não detenho os direitos para o fazer. Até daqui a dois dias", escreveu a sprinter na sua conta no Twitter, explicando que a suspensão aplicada à sua conta seria de 48 horas.

O Comité Olímpico Internacional (COI) explicou que a remoção dos conteúdos não autorizados das redes sociais colocados pelas jamaicanas faz parte de um processo automático.

"Os detentores dos direitos de transmissão têm exclusividade no que toca à emissão dos Jogos Olímpicos. Esses direitos incluem a distribuição de imagens nas redes sociais, nas quais os atletas até são convidados a partilhar as imagens que lhes são facultadas por esses detentores dos direitos, mas onde não podem postar outros conteúdos das provas por si", explicou um porta-voz do COI citado pela agência Reuters.

Tóquio2020: 'Dobradinha' para Elaine Thompson-Herah com triunfo dos 200 metros
Tóquio2020: 'Dobradinha' para Elaine Thompson-Herah com triunfo dos 200 metros
Ver artigo

"Caso o façam, a remoção desses conteúdos nas diferentes plataformas é automática", acrescentou a mesma fonte.

O COI recebeu mais de quatro mil milhões de euros em direitos de transmissão pelo período que inclui oos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, em Pyongyang, e pelos Jogos Olímpicos de Verão de Tóquio 2020, que agora decorrer. A maior parte dessa receita é aplicada nova organização do evento e no apoio às várias modalidades e aos atletas.

"As receitas vindas da venda dos direitos de transmissão é importante para financiar o movimento Olímpico e ajuda a construir o palco onde cada atleta pode brilhar. O COI redistribui mais de 90 por cento dessas verbas pelas várias modalidades, ou seja, o equivalente a 3,4 mil milhões de euros, que são assim canalizados para ajudar atletas e organizações desportivas de todos os níveis um pouco por todo o mundo", referiu ainda o responsável do Comité.

Thompson-Herah afirmou-se como uma das figuras destes Jogos ao defender com êxito os dois títulos olímpicos que havia já conquistado no Rio de Janeiro, em 2016 e conta com mais de 310 mil seguidores no Instagram.

Em Tóquio, a jamaicana vai ainda competir na estafeta dos 4x100 metros. No Rio, a Jamaica, com Thompson-Herah entre as quatro atletas em ação, conquistou a prata nessa prova.

(Re)veja as melhores imagens do Dia 11 dos Jogos, em que Thompson-Herah esteve em destaque

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.