O selecionador norueguês de andebol, Christian Berge, observou que a equipa vice-campeã mundial terá de se "apresentar ao melhor nível" para vencer Portugal na terça-feira, na última jornada do Grupo D do Euro2020.

"Vai ser um jogo muito difícil. Teremos de dar nosso melhor se queremos ganhar, porque Portugal tem uma boa equipa, joga de forma rápida e é forte na defesa e no ataque. Por isso, temos de nos apresentar ao melhor nível", avisou Berge, em encontro com os jornalistas na cidade norueguesa de Trondheim, palco do jogo de terça-feira.

A seleção nacional é a grande surpresa do Euro2020 e vai discutir com a Noruega não apenas o triunfo no Grupo D, mas também a conquista de um ou dois pontos que terão repercussões na ronda principal, para a qual são transportados os resultados entre as duas seleções apuradas da fase preliminar.

A seleção portuguesa qualificou-se no domingo para a ronda principal, ao beneficiar da derrota da França com a Noruega, por 28-26, e fruto também das vitórias que conquistou sobre os franceses (28-25), na sexta-feira, e a Bósnia-Herzegovina (27-24), também no domingo.

A equipa nacional totaliza quatro pontos, os mesmos da também apurada Noruega, e já não poderá ser apanhada no segundo lugar do agrupamento - o último que proporciona o acesso à ronda principal - pelas duas seleções que venceu nas jornadas anteriores.

"Não estou surpreendido. Portugal já tinha vencido a França [na fase de qualificação]. Vimos esse jogo muitas vezes. Penso que há muita qualidade na equipa portuguesa (...), mas jogamos no nosso país e teremos muitos adeptos a apoiar-nos, por isso, entraremos com a máxima energia, para tentar ganhar o jogo", afirmou.

Berge destacou a variedade de sistemas defensivos da ‘equipa das quinas', para os quais poderá ter antídoto: "O nosso contra-ataque é muito rápido. Nós gostamos de correr. E vai ser um jogo veloz, porque Portugal também tem corrido muito".

O central Sander Sagosen, uma das principais referências da seleção nórdica, também espera "um jogo muito duro", manifestando-se, ao contrário do seu selecionador, "um pouco surpreendido" com o desempenho de Portugal no torneio continental.

"Estou um pouco surpreendido, porque todos pensavam que seriam as seleções da França e da Noruega que passariam à ronda principal neste grupo. Mas é bom para o andebol que aconteçam estas surpresas", assinalou.

Sagosen, que tem residência a seis quilómetros do pavilhão onde vai defrontar Portugal, considerou que a seleção nacional "tem muita qualidade, com o aparecimento de uma nova geração de jogadores muito boa".

Após 14 anos de ausência, Portugal está a disputar pela sexta vez a fase final do Campeonato da Europa - no qual tem como melhor resultado o sétimo lugar alcançado em 2000, na Croácia -, encerrando a participação na ronda preliminar na terça-feira, frente à Noruega, em Trondheim.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.