O Sporting ergueu a Taça Challenge de andebol há 10 anos, cumpridos em 28 de maio, feito que repetiu na temporada de 2016/17, e que, na altura, foi o primeiro triunfo português numa prova europeia da modalidade.

Numa final disputada a duas mãos, a formação leonina, orientada pelo treinador Paulo Faria, impôs-se por duas vezes aos polacos do MMTS Kwidzyn, com uma vitória fora, por 27-25, e com novo triunfo em casa ‘emprestada’, em Almada, por 27-26.

Para a história dos ‘leões’ ficaram os jogadores Humberto Gomes, Pedro Solha, Bosko Bjelanovic, Mitja Lesjak, Vladimir Petric, Fábio Magalhães, João Pinto, Pedro Portela, Pedro Seabra, Ricardo Dias, Carlos Galambas, Fernando Nunes, Hugo Rocha, Bruno Moreira e Ricardo Correia.

O ponta Pedro Solha, que na época 2018/19 deixou o Sporting, ao fim de 10 temporadas, rumo ao Belenenses, foi o melhor marcador da prova, com 57 golos, com dois de vantagem sobre o central Rui Silva, na altura no Xico Andebol (presentemente no FC Porto), com 55.

Pedro Solha foi ainda, juntamente com Pedro Portela, João Pinto e Bosko Bjelanovic, um dos quatro jogadores do Sporting que repetiu em 2016/17 a conquista da Taça Challenge, apesar de ter falhado a final por se encontrar lesionado.

Na época de 2009/10, na terceira presença de uma equipa lusa na final da Taça Challenge, o troféu não escapou e o Sporting alcançou o que o ABC tentou em 2004/05, frente aos suíços do Wacker Thun, e o Sporting da Horta em 2005/06, com os romenos do CSA Estrela Bucareste.

Para chegar à final, o Sporting afastou nas meias-finais os eslovenos do RD Slovan, com uma vitória em casa, por 28-23, e uma derrota fora, por 33-30, e nos ‘quartos’ o SM Dedeman Bacau, com um triunfo, por 30-24, no Casal Vistoso e uma derrota, por 28-23, na Roménia.

O Sporting, que entrou diretamente nos oitavos de final da edição de 2009/10 da Taça Challenge (4.ª ronda), afastou na sua primeira eliminatória os gregos do AO Dimou Thermaikou, com dois categóricos triunfos, por 39-24 (casa) e 34-20 (fora).

A conquista dos ‘leões’, feito que viriam a repetir em 2016/17, abriu o caminho à do ABC em 2015/16 – na final 100% portuguesa com o Benfica – naquela que foi a terceira presença do clube de Braga na decisão do troféu, após ter sido finalista vencido em 2004/05 e 2014/15.

Nas últimas 15 edições da Taça Challenge, para além dos triunfos do Sporting (2009/10 e 2016/17) e do ABC (2015/16), e da presença da equipa de Braga em outras duas finais perdidas, também o Benfica (2010/11 e 2015/16), Sporting da Horta (2005/06) e Madeira SAD (2018/19) foram finalistas vencidos.

A presença de clubes nacionais tem sido uma constante nas meias-finais da Taça Challenge, terceira prova na hierarquia da Federação Europeia de Andebol (EHF), em que participaram ABC (1994/95), Benfica (2007/08 e 2014/15), Sporting (2011/12), Águas Santas (2013/14) e Madeira SAD (2017/18).

A primeira presença de uma equipa portuguesa numa final de uma competição da EHF remonta a 1993/94, quando o ABC perdeu a final da Liga dos Campeões com os espanhóis do Teka Santander (22-22 e 21-23), mas deixou uma imagem positiva no andebol europeu.

A formação bracarense voltou a estar envolvida na luta pelo acesso a uma final europeia seis anos depois, desta vez na Taça EHF (segunda mais importante da hierarquia do andebol europeu), mas perdeu com os alemães do SG Flensburg Handewitt e acabou em terceiro.

Na temporada de 2018/19, já no sistema de final a quatro, o FC Porto também foi afastado da decisão da Taça EHF pelos alemães do Füchse Berlim (24-20) e terminou no terceiro lugar, após bater os dinamarqueses do TTH Holstebro (28-26).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.