A judoca Rochele Nunes, que hoje alcançou medalha de prata nos +78 kg do Grand Slam de Telavive, admitiu que a sensação foi ‘amarga’, ao perder aos 25 segundos da final com a francesa Romane Dicko.

“Apesar de uma medalha, estou bem chateada e triste. A maneira como foi a final e a derrota, mexeu um pouco comigo. Quero estar sempre no lugar mais alto do pódio e senti que estava bem preparada para esta competição”, disse à agência Lusa a judoca.

A medalha de prata não era, alguns instantes após o combate final, suficiente para animar a judoca do Benfica, que em Telavive teve um desempenho quase perfeito, com triunfos por ippon em três combates, antes de um desaire no último duelo.

“Os combates que fiz foram bons, acertei muitas coisas que estava a errar antes, mas, enfim, acho que quando voltar para casa vou ter uma sensação um pouco melhor do dia de hoje”, reiterou Rochele Nunes.

Até chegar à final, a judoca, 12.ª do ‘ranking’ olímpico, venceu a cazaque Camila Berlikash (69.ª), a alemã Jasmin Grabowski (22.ª) e a brasileira Maria Altheman (terceira), perdendo depois com Dicko (10.ª), campeã europeia em título e recente vencedora do Masters.

Já a olhar para o futuro, Rochele disse ainda que o desânimo do momento não a faz perder a noção de qual é o caminho que pretende seguir.

“Tenho de continuar a treinar, porque o meu objetivo é muito maior do que isto. Ainda estou triste, não quero ser tão negativa, mas amanhã [domingo] talvez veja pelo lado positivo”, insistiu.

A cinco meses dos Jogos Olímpicos de Tóquio2020 (23 de julho a 08 de agosto de 2021) e quando a qualificação termina no final de junho, a judoca garante ainda que os seus objetivos estão bem direcionados para a grande competição.

“O meu foco maior é nos Jogos Olímpicos. É sempre bom estar no pódio, e esta é a minha 10.ª medalha no circuito. Tenho de saber reconhecer e ter orgulho nos meus resultados”, concluiu.

Em Telavive, Portugal contou com as participações de Catarina Costa (-48 kg), Maria Siderot (-48 kg), Joana Diogo (-52 kg), Wilsa Gomes (-57 kg), Rochele Nunes (+78 kg), Rodrigo Lopes (-60 kg), João Crisóstomo (-66 kg) e João Fernando (-73 kg), destacando-se a medalha de prata de Rochele e o quinto lugar de Catarina Costa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.