A portuguesa Liliana Cá encerrou hoje no oitavo lugar o concurso do lançamento do disco dos Campeonatos do Mundo de atletismo, em Budapeste, com um arremesso a 63,59 metros.

A lançadora do Sporting, de 36 anos, conseguiu 63,59 no terceiro lançamento, depois de ter iniciado a final com 58,86 e com um nulo, assegurando um lugar entre as oito finalistas, e mais três arremessos.

Depois, nas derradeiras tentativas, a quinta classificada nos Jogos Olímpicos Tóquio2020 somou dois nulos e terminou com 62,49, acabando por piorar a sexta posição alcançada nos Mundiais Oregon2022, quando igualou a melhor classificação lusa de sempre, de Teresa Machado em Atenas1997.

Cá detinha a 12.ª e pior marca do ano entre as finalistas (64,32), uma marca bastante abaixo do seu recorde nacional, de 66,40 metros, alcançado em 2021.

Estes foram os terceiros Mundiais da lançadora natural do Barreiro, que já tinha estado em Doha2019, onde não foi além do 26.º posto.

A norte-americana Laulauga Tausaga sagrou-se campeã do mundo, com 69,49 metros, o seu novo recorde pessoal, sucedendo à chinesa Feng Bin, terceira classificada, com 68,20, e batendo a sua compatriota Valarie Allman, medalha de ouro em Tóquio2020 e bronze em Oregon2022, segunda colocada, com 69,23,

A croata Sandra Perkovic, campeã olímpica em Londres2012 e no Rio2016, e do mundo em Moscovo2013 e Londres2017, ficou fora do pódio, no quinto lugar, com 66,57.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.