O selecionador português, Mário Palma, considera que a crise afetou o basquetebol português, mas realçou que também implicou uma maior aposta nos jogadores nacionais.

«É evidente que a crise afetou muito o basquetebol português. Nesta altura temos sérios problemas, porque as equipas não participam em competições europeias, o que é uma desvantagem brutal para a seleção portuguesa, porque não temos rotinas de jogar duas vezes por semana», referiu Mário Palma.

Em declarações à agência Lusa, a poucos dias do início da primeira fase de qualificação para o Europeu de 2015, Mário Palma lembrou que Portugal está a atravessar «uma fase de transição complicada».

«Como não há dinheiro, começaram a ser utilizados os jogadores mais novos, o que não acontecia. Os jogadores portugueses começaram a ser mais utilizados, o que é importante para a seleção nacional. Mas leva um certo tempo até que as coisas se equilibrem, porque durante muitos anos havia cinco, seis estrangeiros nas equipas e os portugueses não jogavam. Isso afetou muito a seleção nacional», referiu.

O selecionador português lembra ainda que a seleção está em «mudança de geração» e que «a anterior geração foi muito boa, com muitos sucessos, mas está a acabar», mas que «a nova não tem a experiência da anterior, porque não jogou no estrangeiro, nunca participou em competições internacionais».

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.