Os ciclistas da 100.ª Volta a França pediram hoje à ministra francesa do desporto, Valérie Fourneyron, que não publicasse os resultados dos testes antidoping efetuados a amostras recolhidas no passado.

Uma delegação de cinco corredores reuniu-se hoje em Porto-Vecchio com a ministra francesa, pouco antes do início da primeira etapa da 100.ª edição do Tour.

Entre os pedidos dos ciclistas está o de impedir que seja tornado público o relatório da comissão do senado francês sobre a eficácia dos controlos, algo que está previsto para 18 de julho, quatro dias antes do final da prova francesa.

«Não vemos o interesse de publicar essa lista neste preciso momento. De novo serão o Tour e o ciclismo a saírem manchados. Isso vai recolher atenção, mesmo tratando-se de coisas do passado», disse Jérémy Roy, um dos porta-vozes.

O documento revelará resultados de teste efetuados com os métodos atuais a amostras recolhidas durante o Tour 1998, que permaneceram congeladas até hoje e que permitiram que, na semana passada, fosse revelado que o antigo ciclista francês Laurent Jalabert tinha tomado EPO.

A ministra ouviu as reclamações dos corredores e assegurou que o Governo não pode fixar a agenda do senado, mas prometeu impulsionar iniciativas para que todas as modalidades sejam tratadas da mesma forma que o ciclismo.

«O ciclismo foi vítima de um linchamento mediático. O Tour não é dopagem e a dopagem não está só no Tour», recordou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.