O antigo ciclista alemão Jan Ullrich, vencedor da Volta a França em 1997, admitiu pela primeira vez ter recorrido ao uso de doping, numa entrevista que será publicada na segunda-feira pela revista Focus.

Ullrich havia defendido ser inocente e nunca ter recorrido à prática de doping, mas na referida entrevista, hoje antecipada pela agência France Presse (AFP), admite que recorreu ao doping no escândalo “Operação Puerto”, quando amostras do seu sangue foram encontradas na investigação das autoridades espanholas centradas na figura do médico Eufemiano Fuentes, que forneceu substâncias a diversos atletas.

No ano passado, Ullrich foi castigado com dois anos de suspensão pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) devido a uma infração por doping.

O germânico, que abandonou a alta competição em novembro de 2007, também viu a o tribunal suíço retirar-lhe todos os resultados conseguidos desde 01 de maio de 2005, nomeadamente o terceiro lugar no Tour2005.

Na entrevista à Focus, Ullrich diz que «quase todos» os ciclistas recorriam ao doping, e justifica o seu uso com a «igualdade de oportunidades» entre todos os atletas na procura da vitória nas provas.

Na decisão do ano passado, os peritos do TAS revelavam ter ficado «confortavelmente satisfeitos» com o «volume, consistência e valor probatório das provas apresentadas pela União Ciclista Internacional (UCI)», no sentido de que «Ullrich participou em doping sanguíneo, violando o artigo 15.2 dos regulamentos», dado que o corredor «não conseguiu levantar qualquer dúvida sobre a veracidade ou fidelidade» das mesmas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.