Após o jogo Brasil x Itália, em que se decidiu o 5º e 6º lugar do 41º Mundial de Hóquei em Patins, em que a Itália levou a melhor sobre o Brasil, por 2-1, ficam registadas as críticas à arbitragem por parte de ambas equipas.

«A arbitragem foi o pior deste mundial, aquele penalti que toda a gente sabe», começou por dizer o selecionador italiano, Massimo Mariotti, referindo-se ao jogo com a França.

De todos os aspetos sobre esta competição, a arbitragem tem sido a mais criticada e de forma unânime. Todos os selecionadores presentes na sala de imprensa deixam isso em claro.

«O nível das equipas de árbitros que têm apitado os jogos não corresponde ao nível das equipas em campo», concordaram os selecionadores do Brasil e da Itália.

«Aquela árbitra deveria apitar os jogos em que se discutem os lugares entre o 9º e 16º, não estes», realçou Belbruno, o argentino que treina o Brasil, falando da angolana Patrícia Costa, a única mulher a arbitrar os jogos da competição.

«Esta árbitra não tem o nível adequado», vincou.

A nota negativa do Mundial parece ser exclusiva aos árbitros, porque de resto todas as equipas têm elogiado Angola e a organização do Mundial. Uma observação feita por Mariotti, relativa ao transporte das equipas também ficou registada.

«A organização do transporte é mais complicada. Num Mundial não se pode demorar mais que uma hora para ir e voltar», sublinhou.

«O campeonato foi fantástico, o povo é fantástico e Angola devia ter ficado neste grupo dos quatro melhores, não merecia ir para o Namibe», defendeu Belbruno.

O selecionador do Brasil sai de certo modo satisfeito porque melhorou a posição face ao Mundial anterior, em que ficou em 8º lugar. A Itália igualou a posição anterior.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.