A portuguesa Filipa Martins terminou hoje na quarta posição a final de trave na Taça do Mundo de ginástica artística, disputada em Guimarães, depois de no sábado ter conquistado a prata nas paralelas assimétricas.

Filipa Martins, cujo desempenho ficou marcado por uma queda, conclui com 12.250 pontos, atrás da britânica Maisie Methuen (12.850), e das canadianas Laurie Denommee (12.600) e Isabela Onyshko (12.600), medalhas de ouro, prata e bronze, respetivamente.

“Sei que conseguia fazer melhor, mas tendo em conta que ainda estou em fase de recuperação após a operação, penso que foi um bom regresso. O próximo objetivo é tentar melhorar cada vez mais os meus exercícios, recuperar completamente a forma, para que no campeonato da Europa consiga realizar uma prova limpa”, disse a ginasta do Sport Club do Porto, em declarações à assessoria de imprensa da Federação de Ginástica de Portugal.

Na final masculina de paralelas assimétricas, Simão Almeida foi sexto classificado, com 13.700 pontos. O cubano Manrique Larduet conquistou o ouro, o romeno Andrei Muntean arrecadou a prata e o suíço Henji Mboyo ficou com o bronze.

Simão Almeida, do Ginásio Clube Português, mostrou-se satisfeito com o resultado e traçou os próximos desafios.

“Estou muito contente com a minha prestação de hoje, na final de paralelas. Os meus principais objetivos eram apurar alguns pormenores relativamente ao esquema das qualificações, e aproveitar ao máximo a oportunidade de estar presente numa final neste aparelho. Consegui alcançar ambos os objetivos. Agora o objetivo é recuperar porque dentro de uma semana estarei novamente a competir, em Tarragona, nos Jogos do Mediterrâneo”, rematou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.