Portugal participa com três atletas nos Campeonatos do Mundo de esqui alpino, que decorrem em Are, na Suécia, entre 05 e 17 de fevereiro, com Vanina de Oliveira a concentrar as atenções, apesar de se estrear na competição.

Além de Vanina de Oliveira, de apenas 16 anos, Portugal vai estar representado também por Samuel Almeida e Ricardo Brancal, com o trio de atletas nacionais a competir em slalom e slalom gigante, cujas provas se realizam entre 14 e 17 de fevereiro.

As maiores expectativas recaem sobre a estreante Vanina de Oliveira, embora tanto a Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP) como o diretor técnico nacional lembrem que é o primeiro ano da esquiadora, residente em França e com raízes em Guimarães, a competir no escalão principal.

Sérgio Figueiredo, diretor técnico nacional, assinalou que Vanina de Oliveira está entre as dez melhores do seu ano e tem somado pódios nos escalões de formação, entre os quais três vitórias no Troféu Borrufa, mas advertiu que é "a sua primeira época FIS (Federação Internacional de Esqui) no escalão absoluto".

"Vai competir pela primeira vez num Campeonato do Mundo, onde vão estar as melhores atletas da modalidade", realçou Sérgio Figueiredo, em declarações à Lusa, considerando que "conseguir um [lugar no] top 50" seria um bom resultado seria a jovem esquiadora.

No caso de Samuel Almeida, de 21 anos, nascido e residente na Suíça, com origens em Tarouca, e do covilhanense Ricardo Brancal, de 22 anos, a expectativa é que um deles consiga apurar-se para a final.

"Vamos com otimismo, tendo em conta que o Samuel tem feito bons resultados, o Ricardo tem estado também a competir e tem experiência em campeonatos do mundo e a Vanina tem colecionado muito bons resultados, mas sabendo que é o primeiro ano que ela está a competir como atleta de primeira linha", antecipou Pedro Farromba, presidente da FDIP, à Lusa.

No último Mundial de esqui alpino, em Saint Moritz, na Suíça, em 2017, Portugal participou com quatro esquiadores, a maior representação de sempre, entre os quais o atleta olímpico Arthur Hanse e Catarina Carvalho, ambos finalistas nas provas de slalom e slalom gigante.

Sérgio Figueiredo explicou que Arthur Hanse "este ano não teve oportunidade de treinar" e não competiu "por opção do atleta", enquanto Pedro Farromba manifestou-se satisfeito com a presença de três esquiadores portugueses, "os que apresentam um grau de competitividade para lá poderem estar".

"Continuamos a crescer em termos de resultados, vamos ter três atletas, o que é muito bom, cada um deles com percursos muito diferentes. Continuamos a crescer, continuamos a participar em provas e a representar o nosso país, como não se fazia antes, e temos a prospeção de atletas a dar resultados", observou o presidente da FDIP.

Para Pedro Farromba, um bom resultado passará por conseguir superar os resultados alcançados em Saint Moritz: "Vamos com legítimas expectativas de que as coisas vão correr no caminho certo, que temos delineado. Um bom resultado é melhorar os resultados anteriores. Esperamos conseguir, no cômputo geral, melhores resultados do que os obtidos nos últimos Mundiais", salientou.

Os primeiros elementos da comitiva portuguesa, Sérgio Figueiredo e Vanina de Oliveira, mais o pai, por quem é treinada, partem para a Suécia no sábado, dia 09. Ricardo Brancal e Samuel Almeida, treinado pelo diretor técnico nacional, juntam-se à concentração em 12 de fevereiro, e Pedro Farromba no dia seguinte.

Vanina de Oliveira compete em slalom gigante no dia 14 de fevereiro e em slalom dois dias mais tarde, em 16. Samuel Almeida e Ricardo Brancal entram na pista para a prova de slalom gigante em 15 de fevereiro e para as de slalom em 17.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.