O Comité Olímpico Internacional (COI) suspendeu hoje seis atletas russas da seleção de hóquei no gelo, por violação das regras antidopagem, na sequência da participação nos Jogos de Inverno de Sochi2014.

O COI confirmou a suspensão de Inna Dyubanok, Ekaterina Lebedeva, Ekaterina Paskevich, Anna Shibanova, Ekaterina Smolentseva e Galina Skiba por terem violado o artigo dois dos regulamentos de antidoping de Sochi.

A sanção significa que a seleção feminina de hóquei no gelo da Rússia foi desqualificada de Sochi e as seis atletas estão excluídas de próximas competições olímpicas.

O Comité Olímpico Internacional decidiu impedir a Rússia de participar nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang2018 e baniu até agora 25 atletas, além das seis atletas de hóquei no gelo, devido a doping nos Jogos de inverno de Sochi2014, e todos eles apresentaram recursos junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

As sanções hoje tornadas públicas seguem-se à suspensão do Comité Olímpico Russo, na última semana, por implicação em casos de dopagem, e à proibição da participação da Rússia em PyeongChang2018.

O organismo russo deu hoje de manhã aval para que atletas do país possam competir com estatuto de neutros nos Jogos de PyeongChang, de 09 a 25 de fevereiro de 2018 na sequência das decisões.

“A opinião de todos que fazem parte foi unânime, que os nossos atletas precisam de estar na Coreia do Sul, de competirem e de ganharem”, disse o presidente do Comité Olímpico Russo (ROC), Alexander Zhukov.

Esta possibilidade, de competirem como neutros, teve igualmente o apoio do presidente russo, Vladimir Putin, ainda que não impeça a apresentação de recursos junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Alguns atletas russos serão formalmente convidados pelo COI, mas o Comité russo pretende enviar listas dos que prefere.

“Penso que o COI terá o cuidado para que os melhores recebam os convites. Por exemplo, a nossa equipa de hóquei é constituída pelos melhores jogadores”, referiu ainda Zhukov, acrescentando que 200 atletas russos deverão estar nos Jogos.

O número de casos examinados pela denominada Comissão Oswald, na sequência do relatório McLaren que expôs um esquema de dopagem do desporto russo, subiu para 46, confirmou o COI.

Entre as investigações levadas a cabo contam-se ainda 33 desportivos cujos casos foram arquivados e há análises forenses ainda em curso, pelo que “não se pode excluir a abertura de novos casos”, apontou o organismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.