Um caso insólito está a marcar a presença de Moçambique nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Esta manhã, a Rádio Moçambique Desporto noticiou que o antigo pugilista e treinador Lucas Sinóia teria “furtado” a caderneta do seu pupilo Juliano Máquina, na qual estava incluída a acreditação do atleta, documento válido para a participação nas olimpíadas.

Segundo relata o enviado especial do RM Desporto, este insólito aconteceu devido ao facto de Lucas Sinóia ter sido excluído da delegação moçambicana que foi aos Jogos e substituído por um treinador cubano que vai orientar Máquina nesta olimpíada.

Lucas Sinóia deveria ter embarcado para Moçambique, mas quis o destino que não conseguisse efectuar a viagem para Maputo tendo perdido o voo. Como não tinha acomodação em Londres, foi obrigado a regressar à Vila Olímpica onde terá devolvido a caderneta e pedido desculpas pelo seu ato.

Sendo assim, Juliano Máquina pode respirar de alívio e efetuar a sua estreia nos Jogos Olímpicos, competição para qual qualificou-se com todo o mérito, ao carimbar o passaporte para Londres. Em abril Máquina derrotou um pugilista do Burkina-Faso em dois assaltos, num combate dos quartos-de-final do Campeonato Africano, na categoria dos 49 quilos.

Aos 18 anos, Máquina conseguiu voltar a colocar o boxe moçambicano numa olimpíada, algo que não se registava desde 1996, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, ano em que a “Pérola do Índico” esteve representada através de Lucas Sinóia, por sinal treinador de Juliano".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.