A União Europeia condenou hoje “nos termos mais veementes” a execução do jovem lutador iraniano Navid Afkar, no passado sábado, no Irão, reiterando a sua oposição à pena de morte “em todas as circunstâncias e casos, sem exceção”.

Num comunicado hoje divulgado, o porta-voz do Alto Representante da UE para a Política Externa sublinha que “a questão dos direitos humanos continua a ser uma parte central” do compromisso da UE com o Irão e que a União vai continuar a trabalhar com Teerão nesta matéria, “incluindo em casos individuais tais como esta recente execução”.

“A União Europeia opõe-se à pena de morte em todas as circunstâncias e casos, sem exceção. Trata-se de uma pena cruel e desumana, que não funciona como um dissuasor e representa uma negação inaceitável da dignidade e integridade humanas”, aponta o comunicado.

O Irão anunciou no sábado ter executado um jovem lutador iraniano, Navid Afkari, condenado à morte pelo assassínio de um agente de segurança estatal durante "distúrbios" em 2018, segundo o site da televisão estatal.

A sentença foi executada na prisão de Shiraz, apesar dos apelos da organização humanitária Human Rights Watch, do Comité Olímpico Internacional e da FIFA, entre outros, para que o atleta não fosse executado.

A Agência de Notícias de Ativistas dos Direitos Humanos (HRANA) informou que a Secção 1 do Tribunal Revolucionário de Shiraz também condenou Navid Afkari à morte sob a acusação de "inimizade em relação Deus" e dois anos de prisão por insultar o líder supremo iraniano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.