O piloto italiano de MotoGP Andrea Iannone recorreu da suspensão de 18 meses por doping, mas a Agência Mundial Antidoping (WADA) também o fez, a solicitar o agravamento da pena, anunciou hoje o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Iannone, 30 anos, que corre pela equipa italiana Aprilia, foi suspenso por 18 meses a 31 de março por causa de um teste positivo para uma substância dopante realizado após o Grande Prémio da Malásia, em Sepang, a 03 de novembro de 2019.

O piloto italiano testou positivo para propionato de drostanolona, um esteroide anabolizante proibido pela WADA e pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM).

"Andrea Iannone pede que a decisão seja anulada, enquanto a WADA solicita que a decisão seja substituída por uma suspensão de quatro anos para o piloto", informou o TAS em comunicado, no qual refere a inexistência de uma data para a análise dos recursos.

Iannone também foi desclassificado das duas últimas corridas da temporada de 2019, na Malásia e em Valência, Espanha, a 17 de novembro, as quais não chegou sequer ao fim, tendo por isso conservado o 16.º lugar no ‘ranking' de 2019, com 43 pontos.

A Aprilia anunciou que o companheiro de equipa de Andrea Iannone, o espanhol Aleix Esparago, prolongou o seu contrato com a equipa italiana até ao final de 2022.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.