O piloto italiano Andrea Iannone (Aprilia) vai continuar suspenso provisoriamente depois de a contra-análise ao teste antidoping realizada no Grande Prémio da Malásia de novembro ter confirmado o resultado positivo, anunciou hoje a Federação Internacional de Motociclismo.

Iannone, que em 2019 foi 16.ºclassificado do Mundial de MotoGP, imediatamente à frente do português Miguel Oliveira (KTM), está suspenso provisoriamente desde 17 de dezembro, data em que foi conhecido o resultado do controlo realizado em 03 de novembro, que acusou a presença de esteroide anabolizante andrógeno (um derivado sintético da testosterona) no controlo à urina realizado na prova de Sepang.

Hoje, a Federação Internacional de Motociclismo (FIM) anunciou que o piloto foi ouvido em audiência "onde pôde apresentar a sua defesa", mas o processo "continua a decorrer", pelo que o piloto se mantém "suspenso provisoriamente" e "impedido de participar em qualquer competição ou atividade relacionada até novas ordens".

Superou Miguel Oliveira, mas foi suspenso: Andrea Iannone acusou doping no MotoGP
Superou Miguel Oliveira, mas foi suspenso: Andrea Iannone acusou doping no MotoGP
Ver artigo

A FIM esclarece ainda que, ao abrigo do código antidopagem, está impedida de "fornecer mais informações".

Andrea Iannone tem 30 anos e foi três vezes terceiro classificado no Mundial de Moto2, nos anos de 2010, 2011 e 2012.

O italiano compete na categoria rainha, a MotoGP, desde 2013, tendo conseguido uma vitória, no GP da Áustria de 2016, registando um quinto lugar como melhor classificação no campeonato, em 2013.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.