O piloto português Miguel Oliveira (KTM) admitiu hoje que “sabe mesmo bem” a terceira posição nos treinos livres para o Grande Prémio da República Checa de MotoGP, que lhe daria um lugar na primeira linha da grelha.

"Obviamente, senti-me confortável", explicou o piloto de Almada, que foi batido pelo mais rápido, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) por apenas 48 milésimos de segundo.

Miguel Oliveira adiantou que o registo de hoje tem muito a ver com o que se passou na prova anterior.

“A última corrida, em Jerez de la Frontera [Espanha], indicou-nos uma ideia mais clara da direção a seguir na afinação da mota, na velocidade e nas voltas rápidas", disse Oliveira, que tinha sido o 17.º durante a primeira sessão, pela manhã.

Segundo o piloto português, da parte da tarde foi feito um “grande trabalho”.

“Tivemos de experimentar todos os compostos de pneus para ver quais os que funcionavam melhor. Tivemos um ritmo decente e, no final, tudo funcionou às mil maravilhas. Ser terceiro da geral sabe mesmo bem", concluiu o piloto da Tech3.

No sábado, disputam-se mais duas sessões de treinos livres e duas sessões de qualificação, sendo que, à segunda, só acedem os 12 mais rápidos.

Com três provas disputadas, Miguel Oliveira é 13.º classificado da classe de MotoGP, a categoria rainha, com oito pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.