A AP-Associação dos Proprietários da Urbanização Vila de Este, concelho de Vila Nova de Gaia, anunciou hoje que terá de suspender a vertente de natação adaptada, culpando a Câmara por “obstaculizar” o uso das piscinas municipais.

Numa conferência de imprensa – para a qual os responsáveis da associação dizem ter convidado jornalistas e representantes dos partidos, bem como o presidente da Câmara – a AP-Associação dos Proprietários da Urbanização Vila de Este apontou, culpando a autarquia, que “a manutenção da vertente de natação adaptada deixou de ser sustentável”.

“Hoje é o último dia para inscrever atletas. Não vale a pena inscrever porque eles estão sem treinar desde setembro. Deixámos a decisão para hoje porque tivemos sempre esperança de vir a receber uma resposta positiva da Câmara. Fizemos o pedido de acesso às piscinas em julho, como em todas as outras épocas, e em setembro pedimos, como normal, a isenção de taxas. Desde então pedem mais um ou outro papel sempre com intenção de criar obstáculos”, referiu o diretor desportivo da associação, José Pedro Moreira.

Contactada pela agência Lusa, a Câmara de Vila Nova de Gaia, garantiu que “a natação adaptada nunca acabará, porque se a AP assumir essa decisão, o Município criará no mesmo dia resposta para os alunos”.

A AP-Associação dos Proprietários da Urbanização Vila de Este, que trabalha a vertente adaptada, mas também os ‘masters’, bem como escalões infantis, juvenis e seniores, diz estar a ser “discriminada” face a outras associações, com a presidente, Preciosa da Cunha, e o tesoureiro da associação, António Moreira, a acusarem a autarquia de ser a responsável pela redução de atletas de “cerca de 180 em 2017 para menos de 50 atualmente”.

Os dirigentes da associação acusaram a Câmara de “patrocinar” um outro projeto de natação de Gaia, o Tubarões de Gaia, que nasceu com um anterior treinador da AP-Associação dos Proprietários da Urbanização Vila de Este.

“Temos recordes nacionais, campeões nacionais e representamos Gaia. Não merecíamos este tratamento”, referiu a presidente.

Já o tesoureiro contou que atualmente a associação gasta “cerca de nove mil euros” para pagar piscinas privadas em ginásios, lamentando que “os atletas tenham de se deslocar para outras localidades”.

Quanto a estas críticas e acusações, a Câmara de Gaia apontou, via resposta escrita enviada à Lusa, “total e absoluta estupefação”, garantindo que “nunca o presidente foi contactado, ficando estupefacto com esta tomada de posição da AP”.

“Só pode ser uma brincadeira de final de ano”, lê-se na resposta, na qual é descrito que “a A.P. de Vila De Este, constitui mais dois clubes, o Conselho de Seniores e o Centro de Ocupação Juvenil, tendo essas três entidades, as quais, diz a autarquia, solicitam “em separado a utilização da piscina de Vila D´Este, para beneficiarem da gratuitidade”.

“Aceitamos, embora não ignorando a habilidade, sempre na defesa dos alunos.

Para a presente época desportiva, ou ano letivo, às três entidades foram atribuídos horários tal como no ano transato”, continua a descrever a Câmara, enumerando os horários em causa.

Já relativamente ao Conselho de Seniores, a Câmara diz que este “cumpriu todas as formalidades e entregou a documentação exigida pelo que iniciou a atividade em 09/09/2019 e são objeto de dispensa de pagamento”.

A autarquia soma explicações sobre o Centro de Ocupação Juvenil da AP – Associação de Proprietários da Urbanização de Vila D’Este, garantindo que “os tempos de utilização não estão a ser ocupados por ninguém, mantendo-se reservados para esse grupo”, estando esta autarquia a aguardar “envio de listagem de atletas por turma com indicação de escalão para que possa ser efetuada análise de dispensa de pagamento”.

“De facto, a piscina é municipal e pode e deve ser utilizada pelos clubes de Gaia, como a AP Vila de Este ou os Tubarões de Gaia, também associação de Vila de Este. Não entramos em guerras de clubes, nem alimentamos a tentação de fazer do desporto de formação um negócio. Face à posição tomada e às afirmações feitas, mandei abrir uma auditoria aos procedimentos, horários e financiamento, responsabilizando a AP de Vila de Este por todas as consequências. Lamento e repudio esta atuação, absolutamente falsa e descabida”, apontou, por fim, o presidente da Câmara, o socialista Eduardo Vítor Rodrigues.

Nesta conferência de imprensa participou, a convite da associação, a deputada municipal pela CDU, Paula Batista, que se comprometeu a enviar um requerimento à Câmara a pedir esclarecimentos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.