A principal competição da modalidade em Portugal, que atribui os títulos de campeões nacionais, arranca esta sexta-feira, na Praia de Ribeira D’Ilhas, com a realização do Allianz Ericeira Pro. A prova marca o regresso do surf de competição ao ativo em Portugal e na Europa e pode acompanhar em direto.

"As previsões de mar que temos são algo difíceis de ler. Pelo que dá para perceber, o mar vai estar maior no terceiro dia de prova, domingo, graças a uma ondulação que entra de Norte. Apesar de tudo, as previsões deixam-nos confiantes que haverá ondas nos três dias, embora seja preciso fazer bem a gestão das marés", explica Pedro Monteiro, diretor de prova.

Para o terceiro dia (domingo, 11 de abril) estão previstas as finais e a cerimónia de entrega de prémios. Além da competição de surf, e como aconteceu em anos anteriores, a Liga MEO Surf continuará a dar atenção à questão da sustentabilidade ambiental, com o retomar das limpezas de praia assim que existam condições para tal. O processo foi iniciado em 2018 e, deste então, já se retiraram mais de 2 toneladas de resíduos das praias de Portugal, envolvendo mais de 2.500 participantes.

Face á proibição de público, o Allianz Ericeira Pro contará com transmissão televisiva em direto na Sport TV, bem como no facebook do MEO, na posição 810 da grelha de canais MEO, em ligameosurf.pt e redes sociais em @ansurfistas.

Em prova, no quadro masculino, estarão nomes como Vasco Ribeiro ou Miguel Blanco e, no quadro feminino, Teresa Bonvalot ou Carolina Mendes.

A etapa seguinte muda-se para a Praia de Cabedelo, na Figueira da Foz, agendado para 23, 24 e 25 de abril. Após as duas primeiras provas, a Liga MEO Surf poderá seguir para o Porto, Sintra e Cascais, mas ainda nada está confirmado por parte da organização.

Vasco Ribeiro e Teres Bonvalot como cabeças de cartaz na primeira etapa

Teresa Bonvalot, campeã nacional por três vezes, e Frederico Morais foram os vencedoras na última edição do campeonato nacional, mas não só da luta pelo título de campeão nacional se faz a Liga MEO Surf. A competição conta ainda com quatro troféus laterais: a Allianz Triple Crown, que se disputa nas três etapas Allianz; um prémio de 2500 euros para a melhor manobra na Go Chill Expression Session; a eleição dos melhores surfistas locais femininos e masculinos, com um prémio de 2 mil euros para cada, atribuído pela Câmara Municipal de Mafra, e o Bom Petisco Girls Score, prémio exclusivo para a competição feminina que premeia com 2500 euros anuais a melhor pontuação combinada do quadro.

Notas para a presença na primeira etapa de Vasco Ribeiro, campeão nacional por quatro vezes, e ausência de do campeão Frederico Morais, que está a competir no Circuito Mundial da World Surf League.

Francisco Rodrigues, Presidente da Associação Nacional de Surfistas, não esconde a satisfação pelo regresso da prova, dando conta do início de todos os preparativos para a realização da prova.

“Tudo aponta que o quadro regulamentar no âmbito no plano de desconfinamento possibilite a emissão das licenças na próxima semana. Portanto, estamos a avançar com todos os preparativos a contar com essa confirmação. Iniciar a luta pelos títulos máximos do Surf português na Ericeira é sempre uma honra, o que, neste caso, também acarreta a importância de ser a primeira competição de Surf a realizar-se em Portugal na temporada de 2021”, afirmou.

João Epifânio, Chief Sales Office B2C da Altice Portugal, realçou o entusiasmo pelo MEO voltar a associar-se a principal competição de surf em Portugal, destacando as dificuldades que a modalidade conseguiu ultrapassar em 2020.

“Apesar de 2020 ter sido um ano particularmente difícil para todos, a Liga Nacional de Surf provou ter a capacidade de se reinventar e continuar a levar o melhor do surf além-fronteiras. Estamos muito orgulhosos por poder continuar a contribuir para o crescimento do surf no território nacional, ao apoiar atletas de renome e provas importantes, como é o caso da Liga MEO Surf. Acredito que em 2021 vamos ser capazes de dar ainda mais palco a esta grande competição e torná-la uma referência nos quatro cantos do mundo”, disse.

O SAPO Desporto esteve à conversa com um dos participantes da Liga MEO Surf, Henrique Pyrriat.

"Chegar ao Circuito Mundial é um sonho, mas quero concentrar-me para chegar ao top-100. Quero ser um surfista influente para a nova geração e transmitir valores que acho serem importantes: humildade, cuidar do próximo e do ambiente. Enquanto atletas não somos nada, estamos apenas a trabalhar, mas podemos segurar no poder da nossa visibilidade e usá-lo para chegar a mais gente", disse o jovem surfista de 23 anos, natural dos Açores, mas a viver atualmente na Ericeira, palco da primeira etapa. Veja a entrevista completa no vídeo abaixo.

Uma nova realidade para o surf nacional

A Liga MEO Surf é a primeira divisão da modalidade, sendo o surf um desporto individual ao ar livre sem contacto físico e considerado de baixo risco pela DGS.

“É com muito agrado que estão reunidas todas as condições para mais uma etapa da Liga MEO Surf. É um facto que a sua realização está sempre condicionada à evolução das circunstâncias inerentes à pandemia e consequente execução do plano de desconfinamento, mas tudo aponta que vai ser possível continuarmos a dar a merecida oportunidade às estrelas do Surf nacional para trabalharem e lutarem pelos seus objetivos desportivos. Um agradecimento também à colaboração do Município da Figueira da Foz, no sentido de compatibilizar a realização desta competição com a intervenção em curso na Praia do Cabedelo”, refere Francisco Rodrigues, presidente da Associação Nacional de Surfistas.

As duas etapas já confirmadas têm também uma relevância nos tempos atuais, onde muitas competições têm vindo a ser adiadas. Isto porque, em solo europeu, a Liga MEO Surf mantém-se como a única plataforma a anunciar o seu regresso, possibilitando assim a necessária rodagem competitiva aos surfistas portugueses, o que é também uma oportunidade na preparação da última fase de qualificação para os jogos olímpicos, a acontecer a partir do final de maio.

Relativamente às demais etapas, a Associação Nacional de Surfistas continua a trabalhar com os respetivos Municípios com vista à confirmação de mais datas, atendendo às condições de licenciamento e sanitárias, assim como à evolução do calendário internacional relevante, de forma a compatibilizar a agenda desportiva dos melhores surfistas nacionais da melhor forma possível.

Quadro de competição da primeira etapa da Liga MEO Surf

Destaques do quadro masculino – Round 1:
H3: Tomás Fernandes x Diogo Martins x Martim Ferreira x Edgar Nozes
H8: Vasco Ribeiro x Vasco Veloso x José Maria Bispo x surfista a designar dos trials
H15: Pedro Coelho x Martim Magalhães x Ivo Cação x Nilton Freitas

Destaques do quadro feminino – Round 1:
H4: Carolina Mendes x Maria Chaves x Maria Salgado x Margarida Carichas
H5: Teresa Bonvalot x Beatriz Costa x Raquel Otero x Carina Duarte
H7: Gaby Dinis x Mariana Rocha Assis x Miriam Julião x Bianca Nicoleta

"É ótimo finalmente voltarmos às competições. Foram oito longos meses sem competição, só a treinar. Por isso, sinto-me mais preparado que nunca. Sinto-me feliz por estar de regresso à ação, sobretudo na Ericeira. Vestir a licra amarela é um bónus. É bom começar com a licra amarela, mas vou tentar não preocupar-me muito com isso. Obviamente que é importante, mas, mais do que começar com ela, vou focar-me, sim, em mantê-la até ao fim do ano”, diz Vasco Ribeiro, tetracampeão nacional.

Em prova estarão outros nomes sonantes, que estão, certamente, ansiosos por regressar à competição e começarem da melhor forma na luta pelo título. O jovem Afonso Antunes, que no ano passado surpreendeu ao lutar até final pelo título com Frederico Morais e Vasco Ribeiro, e Carolina Mendes são também eles nomes a ter em conta. Até porque são os campeões em título deste Allianz Ericeira Pro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.