A seleção portuguesa de surf adaptado anunciou hoje que vai abandonar o Mundial, a decorrer na praia de La Jolla, Califórnia, devido ao fecho das fronteiras nos Estados Unidos devido à pandemia de Covid-19.

“A difícil decisão, tomada após deliberação dos responsáveis federativos com consulta dos atletas e técnicos que fazem parte da seleção nacional, foi precipitada pelo anúncio, ontem [quarta-feira], do fecho das fronteiras dos Estados Unidos da América pelo seu presidente, Donald Trump”, pode ler-se no comunicado da Federação Portuguesa de Surf.

O regresso deverá acontecer ainda hoje, através de um voo para Frankfurt, com a chegada a Lisboa de Marta Paço, atual campeã da Europa, Nuno Vitorino e Camilo Abdula, os três atletas em prova, e da comitiva ainda na sexta-feira.

“É uma decisão extremamente difícil que fomos obrigados a tomar. Estamos a abandonar uma prova em que tínhamos hipóteses concretas de obter várias medalhas”, explicou, citado em comunicado, o presidente federativo, João Aranha.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.600 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados já ultrapassa as 125.000 pessoas, registando-se casos em cerca de 120 países e territórios.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (19), ao passar de 59 para 78, dos quais 69 estão internados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.