O espanhol Rafael Nadal, o sérvio Novak Djokovic e o suíço Roger Federer continuam a dominar o ténis mundial, mas o português João Sousa acredita que, em 2020, os jogadores da ‘NextGen’ podem ameaçar o ‘Big 3'.

"Nos Grand Slam é sempre um pouco mais difícil para os jovens jogadores. O ‘Big 3' tem uma grande experiência em termos de Grand Slam e a jogar em cinco ‘sets'. É, sem dúvida, bem mais difícil para a ‘NextGen’ vencer esses jogadores nesses eventos”, analisou em entrevista à Agência Lusa.

No entanto, de acordo com o tenista português, dentro de “algum tempo”, teremos Stefanos Tsitsipas, Alexander Zverev, Daniil Medvedev e Frances Tiafoe, “que também tem muitíssimo potencial”, tal como Alex de Minaur, a vencer.

“São jogadores que têm vindo a dar cartas e para o ano podem perfeitamente debater-se com o ‘Big 3'", prevê.

Além de defender que a "nova geração tem vindo a dar algumas cartas" e que "são atletas muito bons e talentosos", o vimaranense antevê que "Zverev, Tsitsipas e Medvedev, que têm vindo a fazer grandes exibições, vão ser os representantes do ténis mundial", depois de Rafael Nadal, número um mundial, Djokovic, número dois ATP, e Federer, que, aos 38 anos, completa o top-3 do ‘ranking'.

Entre os mais jovens, o minhoto encontra no campeão do Next Gen ATP Finals, o italiano Jannik Sinner, de 18 anos, um talento promissor.

"O Sinner, para mim, é um grandíssimo jogador. No futuro será melhor ainda, mas já está a demonstrar isso. Defrontei-o em Halle este ano e é um jogador muito jovem e com um talento incrível. Acredito que vai ser um jogador que vai dar que falar muito no futuro", avança o número um português, de 30 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.