A tenista checa Petra Kvitova recebeu esta sexta-feira alta do Instituto de Cirurgia Plástica de Vysoke nad Jizerou, onde foi operada à mão esquerda, ferida na sequência do esfaqueamento de que foi vítima no assalto à sua casa.

À saída do instituto, Kvitova, 11ª do ‘ranking’ mundial, disse que o especialista responsável pela intervenção, realizada na quarta-feira, “decorreu bem, sem complicações”.

“Sinto-me cada vez melhor. Ontem [quinta-feira] já conseguia mexer os dedos. Foi a melhor prenda de Natal que podia ter recebido”, disse a jogadora, que deverá parar cerca de seis meses.

Logo depois da operação, o porta-voz do instituto, Radek Kebrle, explicou que as fases de convalescença de Kvitova serão mais demoradas do que inicialmente previsto.

A sutura da ferida demorará 14 dias a sarar, enquanto a união dos tendões tardará seis semanas, sendo necessários mais três meses até que possa fazer movimentos bruscos com a mão esquerda.

A partir daí, de acordo com Kebrle, a bicampeã de Wimbledon (2011 e 2014) poderá começar a trabalhar a força, mas não poderá realizar esforços desportivos antes de terem passado seis meses.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.