A norte-americana Sofia Kenin, número seis mundial, assegurou hoje a qualificação para a final de Roland Garros, ao eliminar a checa Petra Kvitova, e vai disputar o troféu do terceiro ‘major’ da época com a polaca Iga Swiatek.

Naquela que era considerada a final antecipada, a campeã do Open da Austrália, de 21 anos, derrotou Kvitova, 11.ª classificada do ‘ranking’ WTA, em dois equilibrados ‘sets’, só resolvidos ao fim de uma hora e 45 minutos, com os parciais de 6-4 e 7-5.

Apesar de ter conseguido recuperar um dos dois ‘breaks’ sofridos na primeira partida e ter anulado o primeiro ‘match point’, a checa, de 30 anos e bicampeã de Wimbledon, não foi capaz de travar o ténis ofensivo e mais assertivo da adversária, pautado por 23 ‘winners’, 20 erros não forçados e um total de 75 pontos, para conceder a presença na segunda final de um torneio do 'Grand Slam' esta temporada a Sofia Kenin.

“Ela é uma jogadora tão difícil, tem um ténis agressivo magnífico e um grande serviço. Sabia que tinha de fazer o meu melhor jogo para vencer. Estou super orgulhosa de mim, foi um grande encontro e estou muito feliz”, confessou Kenin.

Na outra meia-final do dia, em que o vento também entrou em jogo, a polaca Iga Swiatek conseguiu lidar melhor com as condições e não deu grandes hipóteses à argentina e ‘qualifier’ Nádia Podoroska, alcançando a qualificação inédita para a final em duas partidas, com os parciais de 6-2 e 6-1, em apenas uma hora e 10 minutos.

“Estou um pouco surpreendida! Nunca pensei, antes do torneio, que iria jogar tão bem. Mas sempre soube que um dia jogaria uma final de um torneio do 'Grand Slam', será em Roland Garros”, admitiu Swiatek.

Aos 19 anos, a jovem tenista, 53.ª colocada no ‘ranking’ WTA, não mostrou qualquer tipo de pressão por ir discutir a sua primeira meia-final de um 'Grand Slam' e, com 23 ‘winners’, 20 erros não forçados, cinco ‘breaks’ em nove oportunidades e um total de 61 pontos, contra os 34 da adversária (131.ª WTA), já garantiu a subida ao 24.º lugar da hierarquia mundial e a vaga na final parisiense, tornando-se na primeira polaca a alcançar tal feito na era Open.

“Foi como planeei. Queria jogar este encontro como se fosse a primeira ronda. Não queria pensar que era uma meia-final, porque ia ficar stressada. Continuei apenas a ser agressiva, tal como nos encontros anteriores. Sinto-me sortuda por me sentir bem e não me doer nada”, acrescentou a jovem de Varsóvia, que vai discutir igualmente a meia-final de pares ao lado da norte-americana Nicole Melichar.

A norte-americana Sofia Kenin, número seis mundial, assegurou hoje a qualificação para a final de Roland Garros, ao eliminar a checa Petra Kvitova, e vai disputar o troféu do terceiro ‘major’ da época com a polaca Iga Swiatek.

Naquela que era considerada a final antecipada, a campeã do Open da Austrália, de 21 anos, derrotou Kvitova, 11.ª classificada do ‘ranking’ WTA, em dois equilibrados ‘sets’, só resolvidos ao fim de uma hora e 45 minutos, com os parciais de 6-4 e 7-5.

Apesar de ter conseguido recuperar um dos dois ‘breaks’ sofridos na primeira partida e ter anulado o primeiro ‘match point’, a checa, de 30 anos e bicampeã de Wimbledon, não foi capaz de travar o ténis ofensivo e mais assertivo da adversária, pautado por 23 ‘winners’, 20 erros não forçados e um total de 75 pontos, para conceder a presença na segunda final de um torneio do 'Grand Slam' esta temporada a Sofia Kenin.

“Ela é uma jogadora tão difícil, tem um ténis agressivo magnífico e um grande serviço. Sabia que tinha de fazer o meu melhor jogo para vencer. Estou super orgulhosa de mim, foi um grande encontro e estou muito feliz”, confessou Kenin.

Na outra meia-final do dia, em que o vento também entrou em jogo, a polaca Iga Swiatek conseguiu lidar melhor com as condições e não deu grandes hipóteses à argentina e ‘qualifier’ Nádia Podoroska, alcançando a qualificação inédita para a final em duas partidas, com os parciais de 6-2 e 6-1, em apenas uma hora e 10 minutos.

“Estou um pouco surpreendida! Nunca pensei, antes do torneio, que iria jogar tão bem. Mas sempre soube que um dia jogaria uma final de um torneio do 'Grand Slam', será em Roland Garros”, admitiu Swiatek.

Aos 19 anos, a jovem tenista, 53.ª colocada no ‘ranking’ WTA, não mostrou qualquer tipo de pressão por ir discutir a sua primeira meia-final de um 'Grand Slam' e, com 23 ‘winners’, 20 erros não forçados, cinco ‘breaks’ em nove oportunidades e um total de 61 pontos, contra os 34 da adversária (131.ª WTA), já garantiu a subida ao 24.º lugar da hierarquia mundial e a vaga na final parisiense, tornando-se na primeira polaca a alcançar tal feito na era Open.

“Foi como planeei. Queria jogar este encontro como se fosse a primeira ronda. Não queria pensar que era uma meia-final, porque ia ficar stressada. Continuei apenas a ser agressiva, tal como nos encontros anteriores. Sinto-me sortuda por me sentir bem e não me doer nada”, acrescentou a jovem de Varsóvia, que vai discutir igualmente a meia-final de pares ao lado da norte-americana Nicole Melichar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.