O piloto britânico Lewis Hamilton assumiu hoje que vai cumprir “um sonho de criança” com a mudança para a Ferrari em 2025, após 12 temporadas ao serviço da Mercedes na Fórmula 1.

“Após alcançar vários objetivos com a Mercedes que não passavam de apenas sonhos quando era criança, sinto-me incrivelmente sortudo por ter a oportunidade de concretizar outro sonho de criança: conduzir o vermelho da Ferrari”, escreveu Hamilton, na rede social Instagram.

Admitindo que os últimos dias têm sido “de loucos” e “repletos de emoções”, o piloto referiu que “chegou a hora de um novo capítulo” na sua carreira, quando deixar a Mercedes no final da presente temporada e colocar fim a um percurso de 12 épocas na equipa alemã, pela qual conquistou seis títulos de campeão mundial (2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020).

“Chegou a altura de fazer uma mudança, de assumir um novo desafio. Ainda me lembro quando arrisquei e me juntei à Mercedes em 2013. Algumas pessoas não entenderam essa mudança, mas foi a decisão certa e, neste momento, sinto exatamente o mesmo. Estou entusiasmado com esta nova oportunidade [na Ferrari] e com o que poderemos fazer juntos”, explicou.

Tendo em conta a longa ligação à Mercedes, Hamilton confessou que esta foi “a decisão mais difícil” que teve de tomar e manifestou-se “orgulhoso” com tudo o que alcançou na ‘escuderia’, deixando claro que ainda vai defender a equipa alemã esta temporada, pelo que ainda não pensa no próximo ano.

“Neste momento, não estou a pensar em 2025. O meu foco está na temporada que vai começar e em ajudar a Mercedes a reentrar nos ‘carris’. Estou mais determinado, mais focado e em melhor forma do que nunca, e quero ajudar a Mercedes a vencer novamente. Estou comprometido a 100% com o trabalho que tenho de fazer e determinado a encerrar a nossa ligação em grande”, frisou.

Lewis Hamilton vai trocar a Ferrari pela Mercedes no final desta temporada, anunciaram as duas equipas na quinta-feira, sendo que o britânico, de 39 anos, vai substituir o espanhol Carlos Sainz a partir de 2025.

O britânico chegou à Fórmula 1 em 2007, para representar a McLaren, então equipada com motores Mercedes, e acabou por conquistar o primeiro campeonato em 2008, numa luta com o brasileiro Felipe Massa, então na Ferrari.

Em 2013 juntou-se à equipa Mercedes, substituindo o alemão Michael Schumacher, que se retirou da modalidade pela segunda vez.

Hamilton viria a conquistar os títulos de 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020, igualando o recorde de sete coroas conquistadas por Schumacher.

Nesta caminhada, Hamilton tornou-se o piloto com mais vitórias (103), mais pódios (197) e mais ‘pole positions’ (104) da história da Fórmula 1.

A senda de vitórias só foi interrompida em 2021, pelo neerlandês Max Verstappen e pela Red Bull, que veio colocar o fim ao domínio que a Mercedes exerceu ao longo de sete anos.

A temporada de 2024 será a última com os ‘flecha de prata’, antes de cumprir um sonho de criança e se mudar para a mais mítica das equipas, a única que participou em todos os campeonatos de Fórmula 1 já realizados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.