Os recentes castigos aplicados pelo Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF), a agentes desportivos, serão esclarecidos na próxima quinta-feira, em conferência de imprensa, em Luanda, anunciou hoje a direcção do Marketing e Comunicação do órgão reitor da modalidade no país, segundo uma nota distribuída à Angop.

Trata-se dos castigos aplicados a dois dirigentes do Benfica de Luanda, Carlos Brecha e Mário Rocha, bem como à árbitra internacional Marximina Luzia Bernardo, por alegada corrupção.

O Conselho de Disciplina da FAF confirmou, em comunicado, a suspensão de toda actividade desportiva da árbitra Marxmina Bernardo, por três anos, assim como os dirigentes do Benfica de Luanda Carlos Brecha e Mário Rocha, por seis temporadas e que deverão cada um pagar a multa em kwanzas equivalente a cinco mil dólares norte-americanos.

Foi igualmente castigado por 21 dias o treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, acrescido de uma multa em kwanza, equivalente a USD 1 750.

O mesmo órgão sancionou ainda o presidente do 1º de Agosto, Carlos Hendrick, que deverá pagar uma multa, em kwanza, equivalente a três mil dólares norte-americanos, face às suas declarações públicas contra o vice-presidente da FAF, Adão Costa, por altura da não cedência dos jogadores “militares” à selecção nacional que disputou este ano o CHAN, no Reino do Marrocos.

Foi também penalizado, por um ano, o treinador principal do 1º de Maio de Benguela, Agostinho Tramagal, por alegada agressão a um árbitro assistente na partida disputada recentemente na cidade do Lubando, diante do Desportivo da Huila, para o Girbola2018.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.