O futebolista Hélio Neto, um dos sobreviventes do acidente aéreo que a 28 de novembro vitimou quase toda a equipa da Chapecoense, teve uma melhoria da sua condição pulmonar e deixou de necessitar de ventilação mecânica.

De acordo com o diretor médico do Hospital San Vicente Fundación de Rionegro, Ferney Rodríguez, o defesa continua na Unidade de Cuidados Intensivos e continua a ter um acompanhamento apertado, até porque as primeiras horas após ser retirada a sedação e a respiração mecânico podem ser críticas.

“Desde ontem [quinta-feira] despertou e foram-lhe retirado os medicamentos que o mantinham sedado. Foi possível também retirar-lhe a ventilação mecânica e [Neto] está a respirar sozinho”, disse o responsável.

Segundo Ferney Rodríguez, o futebolista, que apenas foi encontrado oito horas após o acidente, está a conversar com a sua família e com os médicos.

Também o guarda-redes Jackson Follmann está a ter uma evolução satisfatória, está tranquilo e consciente da segunda amputação de parte da perna direita a que foi submetido na quarta-feira.

Sobre Alan Ruschel, o jogador sobrevivente com ferimentos menos graves, o diretor médico afirmou que a evolução “continua a ser boa”, mas não quis ainda adiantar uma data para o regresso ao Brasil.

A 28 de novembro, o avião da companhia boliviana Lamia caiu perto de Medellín, na Colômbia, onde a Chapecoense ia defrontar o Atlético Nacional, na primeira mão da final da Taça Sul-Americana.

O acidente causou a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam a bordo, incluindo a maioria dos jogadores da Chapecoense, dirigentes e jornalistas que acompanhavam a equipa brasileira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.