O Sporting Clube da Praia derrotou este domingo a Ultramarina de São Nicolau por 2-1, em jogo da primeira mão da final do campeonato de Cabo Verde, em futebol, partida disputada no Estádio Orlando Rodrigues, no Tarrafal.

Com este resultado, obtido na casa do adversário, o Sporting Clube da Praia parte em vantagem para o jogo de segunda mão da final, a realizar-se no próximo fim-de-semana, no Estádio da Várzea (Cidade da Praia).

O primeiro golo do Sporting da Praia ocorreu aos 10 minutos, apontado por Blessed, na sequência de um canto, e o segundo, aos 42 minutos, por intermédio de Panduru.

A Ultramarina reduziu a desvantagem aos 88 minutos, por Patchick, na transformação de uma grande penalidade.

O jogo da primeira-mão teve lugar este domingo no estádio municipal, Orlando Rodrigues, no Tarrafal, São Nicolau, na sequência da convocatória avançada na quarta-feira, 16, pela Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), após um pronunciamento do Conselho de Disciplina que puniu com uma derrota a equipa do Mindelense (São Vicente), por não comparência no jogo de domingo passado contra a Ultramarina.

A não comparência do Mindelense colocou a equipa de São Nicolau na final, tendo a FCF se baseado, para o efeito, nas leis do futebol nacional, particularmente nos artigos 39 e 52 do código do Conselho de Disciplina.

Conforme apurou a Inforpress, o artigo 52 refere que a falta de comparência não justificada e em jogo oficial incluindo uma prova a disputar por pontos, será punida com pena de derrota e com uma pena de multa de 15 mil escudos, castigo que foi atribuído, por conseguinte, ao Mindelense.

Este imbróglio no futebol cabo-verdiano, que já fez correr muita tinta, com o Mindelense a anunciar que vai “impugnar” este campeonato, começou em junho, depois de dois adiamentos em quatro dias, e na terceira data prevista não apareceram as chaves para abrir os portões do estádio em São Nicolau, inviabilizando assim o jogo entre Ultramarina e Mindelense.

Entretanto, mesmo sem se realizar o jogo da primeira mão em São Nicolau, a FCF marcou o da segunda mão em São Vicente, em que a Ultramarina venceu o Mindelense por 2-0.

Mais de um mês depois, a federação anulou o jogo e mandou repetir a eliminatória, mas o Mindelense não conseguiu reunir o número suficiente de jogadores para viajar para São Nicolau e não compareceu ao jogo.

Os campeões de São Vicente, ainda tetracampeões nacionais, foram penalizados com derrota na partida, multa de 15 contos (136 euros), eliminação da competição e consequente apuramento da Ultramarina para a final.

A decisão não agradou ao Mindelense, que estranha o facto de ter sido tomada sem a instauração de um processo disciplinar à sua equipa, pela não comparência no jogo, e vai recorrer da decisão e impugnar o campeonato.

Enquanto isso, a direção da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) foi destituída este sábado, durante uma assembleia geral extraordinária.

A queda da direção da FCF foi aprovada em assembleia-geral extraordinária convocada por nove das 11 associações regionais para discutir a atual situação do futebol cabo-verdiano e exigir a demissão do presidente federativo, Vítor Osório.

A destituição teve nove votos a favor, enquanto duas associações abstiveram-se, durante a assembleia que decorreu durante várias horas na Cidade da Praia.

Com esta decisão, numa assembleia-geral que foi “extremamente tensa”, serão agora realizadas eleições antecipadas na FCF, em data ainda a indicar, e que serão preparadas por uma comissão de gestão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.