Álvaro Braga Júnior, presidente da SAD do Boavista, comentou hoje a decisão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, que devolveu ao Boavista a possibilidade de integrar a I Liga.

«A razão jurídica e a parte emotiva é obrigatória neste momento. E em todo este processo há pessoas que não esqueço. Quem fez parte do meu conselho e direção, os diretores nomeados, os treinadores e atletas, pois sem eles não havia Boavista», começou por dizer o dirigente axadrezado, que deixou ainda uma palavra a sócios e adeptos.

«Aos sócios e adeptos quero deixar um agradecimento especial, assim como para os panteras negras. Jogamos em casa mesmo quando estamos fora. Se calhar não percebo nada de futebol, mas percebo de advogados e os nossos fizeram um trabalho brilhante. Há cinco anos disse que ia ser feita justiça e ontem começou a ser feita», afirmou Braga Júnior, que deixou ainda uma garantia:

«Ninguém mata uma instituição como a nossa por decreto. Felizmente o Boavista tem dois presidentes que se entendem e assim as coisas ficam mais fáceis», terminou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.