Os vizinhos Grêmio e Internacional empataram na quinta-feira sem golos, no primeiro dérbi de Porto Alegre na Taça Libertadores em futebol, que acabou numa ‘batalha campal’, com oito expulsões, quatro para cada lado.

Na parte final do encontro, um desentendimento entre dois jogadores estendeu-se pelos restantes que estavam em campo e no banco e o árbitro argentino Fernando Rapallini teve de mostrar por oito vezes o cartão vermelho.

Depois de uma longa interrupção, o jogo prosseguiu, acabando já depois dos 105 minutos, com as duas equipas reduzidas a oito unidades, mais um expulso de cada lado entre jogadores suplentes não utilizados.

Luciano, Pepê, Caio Henrique e o suplente Paulo Miranda foram os jogadores expulsos no Grêmio, enquanto no Internacional, viram o vermelho direto Edenílson, Moisés, Victor Cuesta e ainda Bruno Praxedes, que não chegou a ser utilizado.

Além dos oito vermelhos, o árbitro da Argentina mostrou seis amarelos, também três a cada formação, para um total de 14 admoestações.

Em contraste com a fartura de cartões, a ausência de golos, que manteve as equipas a par na liderança do Grupo E, ambas com quatro pontos, contra três do América de Cali, que na terça-feira tinha vencido fora o Universidad Católica (zero pontos) por 2-1.

No Grupo F, os argentinos do Racing Club (1-0 ao Alianza Lima, com um tento do suplente Nicolás Raniero, aos 56 minutos, um após entrar em campo) e os uruguaios do Nacional (1-0 ao Estudiantes de Mérida, com um golo de Felipe Carballo, aos 69) lideram com seis pontos, contra nenhum de peruanos e venezuelanos.

A terceira jornada da fase de grupos deveria realizar-se na próxima semana, entre terça e sexta-feira, mas foi adiada pela CONMEBOL, devido à pandemia do Covid-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.