A Procuradoria de Paris informou hoje ter aberto em 30 de junho uma investigação a uma ‘vaga’ de mensagens racistas publicadas na rede Twitter e que visam alguns futebolistas da seleção francesa, eliminada do Euro2020.

O inquérito foi aberto “por injúria pública de caráter racista”, dois dias depois de a França ser eliminada pela Suíça no Europeu de futebol, ao perder no desempate por grandes penalidades (5-4), depois de um empate a três golos.

O assunto já tinha sido abordado pelo presidente de Martinica, Serge Letchimy, que escreveu ao ministro da Justiça francês, Eric Dupond-Moretti, a condenar os “insultos racistas” ao avançado Kylian Mbappé.

Na ocasião, o político comentava uma declaração dirigida a Mbappé, muito publicitada e falada nas redes sociais, que ofendia o avançado do Paris Saint-Germain com mensagens racistas.

“Está fora de questão deixar passar este tipo de discurso de ódio, que deve trazer, de maneira sistemática, os seus autores diante da lei francesa, que, felizmente, condena este tipo de discurso”, referiu Letchimy na carta ao ministro da justiça.

Insultos que levaram também a associação SOS Racismo a apresentar uma queixa, com o objetivo de se constituir parte interessada, em tribunal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.