A Comissão Disciplinar da FIFA explicou hoje, em relatório, as razões da suspensão de Luis Rubiales por três anos e revelou que esteve tentada a impor sanções mais severas ao ex-presidente da Federação espanhola de futebol (RFEF).

A decisão da comissão foi tomada no final de outubro, a culminar o processo disciplinar aberto contra Rubiales no dia 24 de agosto, na sequência dos acontecimentos ocorridos após a final do Mundial feminino da Austrália e da Nova Zelândia, na qual a Espanha se sagrou campeã ao vencer a Inglaterra.

O ex-presidente da RFEF tocou nos seus órgãos genitais na tribuna do estádio no final do jogo e, mais tarde, durante a cerimônia de entrega da medalha beijou a jogadora Jennifer Hermoso na boca.

Inicialmente, Rubiales foi suspenso provisoriamente por um período de 90 dias e, em 30 de outubro, recebeu a notificação da decisão da Comissão Disciplinar de sancioná-lo por três anos de todas as atividades relacionadas com o futebol nacional e internacional.

A Comissão revela que “foi tentada a impor sanções mais severas face à gravidade dos incidentes em causa, bem como ao profundo impacto negativo que causaram”.

Numa referência ao beijo não consensual com Jennifer Hermoso após a final do Mundial, a FIFA ressalta que “o acusado não pediu desculpas à jogadora, nem pública nem privadamente” e que “persistiu na sua negação (publicamente e no âmbito deste procedimento), sustentando (contra a declaração inequívoca do jogador) que o beijo foi consensual”.

No entendimento da comissão Rubiales “insultou publicamente todos aqueles que viram este incidente de forma diferente”, ao afirmar que foi “um beijo entre dois amigos comemorando algo”, e chamou-lhes “idiotas e estúpidos”.

Sublinha ainda que “o arguido utilizou a sua posição de presidente da RFEF de forma agressiva e totalmente inadequada para publicar - em nome da RFEF - declarações com citações da jogadora que não foram escritas ou autorizadas por ela, e emitiu, através de um comunicado oficial, uma declaração (que foi posteriormente excluída) a ameaçar a jogadora (entre outros) com uma ação legal”.

Além disso, a Comissão salienta que Rubiales utilizou a assembleia geral da RFEF “como um fórum para se defender e distorcer a realidade do beijo a seu favor” e que “não poderia ignorar o impacto da actuação dos arguidos na saúde mental e na carreira da jogadora”, tendo esta última sublinhado que ainda se sente “verdadeiramente humilhada por tudo o que aconteceu e pela exposição mediática e escrutínio público a que ela e sua família foram submetidas”.

A Comissão lembra que Hermoso “tem estado em contato com os psicólogos do Clube Pachuca, bem como com um psicólogo de sua confiança”.

Em conclusão, a FIFA diz estar firmemente convencida de que o arguido, pelo seu comportamento, trouxe descrédito ao desporto futebol e/ou à FIFA a nível mundial, e como tal as sanções que lhe foram impostas refletem todas as circunstâncias agravantes acima mencionadas”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.