O selecionador português de futebol feminino, Francisco Neto, acredita que as jogadoras lusas podem criar “muitos problemas” à Alemanha, na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2023, pretendendo conquistar pontos que permitam manter os objetivos intactos.

“Nesta equipa, nunca temos uma postura conservadora, mas não quer dizer que, em momentos de jogo, não a tenhamos de ter, pois acho que isso também é sinónimo de inteligência. O que queremos é disputar o jogo e procurar, dentro das nossas armas, criar muitos problemas à Alemanha”, começou por afirmar o treinador, aos jornalistas.

Francisco Neto socorreu-se da segunda parte do encontro no Estádio de São Luís, em Faro, que terminou com um triunfo das germânicas, por 3-1, com três golos apontados na primeira meia hora, e num dos jogos frente à Noruega, na Algarve Cup, com triunfo luso (2-0), para mostrar que Portugal pode ambicionar lutar com as maiores potências.

“Sabemos que não é fácil, sabemos contra quem vamos jogar, uma das potências do futebol europeu, mas Portugal tem crescido e as equipas têm cada vez mais respeito. É um respeito que temos conquistado dentro de campo e queremos continuar”, referiu.

Numa dupla jornada com Alemanha, campeã mundial em 2003 e 2007, e Bulgária, Francisco Neto considerou serem dois jogos “com um padrão completamente diferenciado”, mas o selecionador mantém o intuito de chegar a setembro a depender de si para o apuramento direto ou ‘play-off’.

“Neste momento, dependemos de nós, no mínimo, para chegar ao ‘play-off’ e é a isso que também nos agarramos. Sabemos que temos de fazer um bom jogo na Alemanha e conquistar pontos. É isso que vamos procurar fazer no sábado”, sublinhou o técnico.

Apesar de ainda achar “grande” o nível e a distância entre a equipa das ‘quinas’ e as germânicas, Francisco Neto crê que “é possível ser competitivo, organizado e acreditar até ao fim” na vitória, assente na “vontade, coragem e caráter que as jogadoras têm”.

“Esta comunidade que as jogadoras criam é uma das grandes mais-valias, pois quem acompanha esta seleção sente que nenhuma jogadora joga sozinha. Um dos grandes problemas frente à Alemanha foi o excesso de solidariedade umas com as outras, que, às vezes, também é prejudicial na nossa dinâmica de jogo. O grupo conhece-se muito bem, está junto há muitos anos, respeitam o espaço umas das outras e têm crescido imenso como jogadoras e como mulheres”, disse o selecionador, de 40 anos.

Portugal defronta a Alemanha no sábado, em Bielefeld, pelas 15:10 (hora de Lisboa), e recebe a Bulgária quatro dias depois, em 12 de abril, no Estádio Cidade de Barcelos.

A quatro jornadas do final do apuramento, a Alemanha lidera o grupo H, com 18 pontos (em seis jogos), seguida de Sérvia, com 15 (sete), Portugal, com 13 (seis), e da Turquia, com 10 (sete). Israel e Bulgária seguem em quinto e sexto, respetivamente, ambas sem qualquer ponto nos seis encontros disputados.

Os dois primeiros classificados de cada grupo apuram-se diretamente para a fase final do Mundial2023, enquanto os segundos colocados terão de disputar um 'play-off' de qualificação.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.