Quase dois meses depois do último encontro, FC Porto e Barcelona voltam a medir forças. Cada um com 9 pontos na frente do Grupo H, está em jogo a passagem à próxima fase da Liga dos Campeões e a disputa acesa pelo primeiro lugar. A história entrega de bandeja o favoritismo aos catalães, mas em campo estarão duas das quatro equipas mais experientes da competição. Os culés chegaram à liga milionária 27 vezes, tal como o Real Madrid, enquanto os dragões fizeram-no em 26 ocasiões, as mesmas que o Bayern de Munique.

O FC Porto não tem sido feliz com o Barcelona, especialmente na Catalunha, mas a história escreve-se para ser contrariada. E há sempre Viena para comprová-lo.

Momento de forma

FC Porto

Não era propriamente um adversário de enorme poderio, mas a goleada imposta ao Montalegre na passada sexta-feira não deixa de ser uma injeção de confiança para uma equipa que, importa lembrar, não tem primado pela eficácia esta época. Além do mais, os quatro golos sem resposta ajudaram a atenuar a névoa trazida por uma semana conturbada fora dos relvados. Por isso, na Catalunha, um bom resultado pode mesmo contribuir para dissipar as nuvens negras mais teimosas que têm sobrevoado as mais altas patentes azuis e brancas. Porque dentro do campo, verdade seja dita, o cenário é aceitável para a altura da época: 3º classificado do campeonato a três pontos do primeiro e segundo classificados, o Benfica e o Sporting, e ainda em competição na Taça de Portugal com a Taça da Liga por disputar.

De regresso aos palcos europeus um mês depois da última partida, uma vitória por 4-1 frente ao Antuérpia, o FC Porto quer diante do Barcelona arrumar a questão do apuramento para os "oitavos". Depois da derrota em casa frente aos catalães - o único desaire nos quatro jogos realizados - os dragões sabem que com uma vitória dão um passo de gigante rumo à próxima fase, com o bónus de alcançar o primeiro lugar isolado do grupo, colocando-se assim em ótima posição à entrada para a última jornada da fase de grupos.

Na fase de grupos, excetuando a derrota caseira com a formação blaugrana, o FC Porto só sabe vencer. Um triunfo a abrir diante do Shakhtar Donetsk, por 3-1, e duas vitórias sobre o Antuérpia por 1-4 e 2-0. Com 9 golos marcados e apenas três sofridos, é assente na boa campanha traçada até agora que os homens liderados por Sérgio Conceição vão até ao estádio emprestado do Barcelona, o Olímpico Lluís Companys. E fá-lo-á com as já conhecidas ausências, de resto, um dos principais flagelos do FC Porto esta temporada. Wendell, Veron e Marcano são baixas confirmadas.

Mas nem tudo são más notícias: Pepe, capitão, conseguiu recuperar a tempo e deve entrar diretamente para o onze inicial frente ao Barcelona, clube que já defrontou 23 vezes ao serviço do eterno rival, o Real Madrid, com um registo de 10 vitórias, 4 empates e 9 derrotas. Zaidu, afastado dos últimos jogos devido a lesão, também regressa aos convocados.

Barcelona

É a viver uma fase pouco fulgurante, eufemisticamente falando, que o Barcelona chega à 5.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Os 'culés' empataram no fim-de-semana 1-1 em casa do Rayo Vallecano e foram várias as vozes críticas ao resultado e exibição da equipa, a começar pelo treinador Xavi Hernández. Na La Liga, os catalães espreitam o pódio a quatro pontos do líder Real Madrid. O resultado desencadeou alguns estilhaços na comunicação social espanhola, que aponta para uma quebra do rendimento da equipa de João Cancelo e João Félix, chegando mesmo a indicar a data de 23 de Setembro, dia de uma vitória tangencial por 3-2 com o Celta de Vigo, como o início da quebra da performance da formação catalã.

De lá para cá passaram-se pouco mais de dois meses e os resultados ajudam a explicar a teoria da imprensa vizinha que vê "o jogo da equipa a deteriorar-se, ao ponto de roçar os mínimos nas últimas quatro partidas: diante de Real Sociedad, Shakhtar Donetsk, Alavés e Rayo Vallecano”, aponta o 'Mundo Deportivo',  jornal desportivo da Catalunha.

Na Liga dos Campões, a cantiga é outra. A derrota no último jogo diante do Shakhtar retirou a liderança isolada do grupo, agora dividida com o FC Porto, mas antes disso o percurso tinha sido imaculado com três vitórias consecutivas: Antuérpia (5-0), FC Porto (0-1) e Shakhtar (2-1). A equipa liderada pelo antigo capitão Xavi soma 8 golos marcados e 2 sofridos, ambos com a equipa ucraniana, um em cada jogo.

A equipa do avançado polaco Lewandowski recebe o FC Porto com uma baixa de peso. Gavi, médio espanhol de 19 anos, lesionou-se com gravidade ao serviço da seleção e, já se sabe, não joga mais até ao final da época. Um duro golpe para o técnico da formação catalã.

Histórico de confrontos

Culés e dragões são já velhos conhecidos nas provas europeias e vão encontrar-se pela 10ª vez na história, entre Liga dos Campeões, Taça UEFA e Supertaça Europeia. Apesar da vantagem nos confrontos diretos cair para a equipa espanhola, a verdade é que os primeiros dois duelos terminaram com vitórias da formação lusa. Foi em 72/73, na Taça Uefa, com vitórias por 3-1 e 0-1, de resto, o único triunfo fora de casa até hoje com o Barcelona. De lá para cá, jogaram-se sete partidas: seis derrotas e apenas uma vitória é o registo azul e branco.

O triunfo solitário nasceu dos pés de Juary, com um hat trick nas Antas para a Taça dos Campeões Europeus em 1985/1986. No que diz respeito a desaires, destaque para a derrota na Supertaça Europeia após a conquista da Liga Europa com Villas-Boas, mas já sem o treinador à frente da equipa. O FC Porto perdeu 2-0 e a possibilidade de conquistar mais um título internacional. Há quase dois meses defrontaram-se pela última vez, no Dragão, com o Barcelona a vencer timidamente por 1-0 com um golo de Ferrán Torres.

Feitas as contas, 9 jogos, 3 vitórias, 6 derrotas. O FC Porto não vence o Barcelona há 37 anos. Será desta, Juary?

O que disseram os treinadores

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto: "Um bom resultado será a vitória, sem dúvida. Será preciso uma grandíssima noite para levarmos daqui a vitória. Temos de roçar a perfeição contra uma equipa como esta do Barcelona. Independentemente dos momentos das equipas, estes são sempre jogos de altíssimo nível, onde os jogadores estão super motivados. Olhamos para o outro lado, para o plantel do Barcelona, e vemos todos os setores cheios de grandíssimos jogadores. É preciso uma grande noite para ganharmos aqui, sem dúvida"

Xavi Hernández, treinador do Barcelona: “É um jogo importantíssimo, vital. Temos em aberto a possibilidade de terminar em primeiro lugar e a vitória coloca-nos nos oitavos-de-final. Espero que aconteça uma noite mágica. Não estamos ao nível de há um mês e meio ou dois meses. Temos de exigir mais de nós, recuperar a intensidade e mentalidade ganhadora. Temos de ser mais humildes, generosos e compactos já a partir de amanhã [terça-feira]. Isto é o Barça, há essa exigência”.

O italiano Daniele Orsato é o árbitro escolhido pela UEFA para o jogo desta terça-feira, às 20h.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.