Pizzi é considerado um dos melhores jogadores do plantel do Benfica, mas a derrota dos encarnados frente ao RB Leipzig, na partida inaugural da Liga dos Campeões, deixou a nu o 'desaparecimento' daquele que é muitas vezes o maestro nas competições nacionais.

Imprescindível na manobra da equipa nas provas internas, o jogador luso tem tido dificuldades em mostrar a sua 'magia' na Europa e isso ficou bem patente na partida frente aos germânicos, na qual perdeu influência na manobra da equipa.

O jornal A Bola fez uma análise às prestações do médio luso e chegou à conclusão de que este apresenta duas faces: se por um lado, a nível doméstico, são poucos os dias menos bons de Pizzi, por outro lado, na Liga dos Campeões, o camisola 21 dos encarnados tem dificuldades em mostrar o seu valor.

No jogo frente ao Leipzig o internacional luso fez um total de 54 passes, sendo que apenas quatro tiveram como destino os avançados.

Pizzi fez dois passes para o espanhol Raúl de Tomás e outros dois para Jota, mas a maioria das vezes que teve a bola nos pés acabou por passar para o lado ou para trás, sinal das dificuldades que teve para conseguir ajuda e armar o jogo da sua equipa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.