O FC Porto deu início, esta quarta-feira, à sua 25.ª presença na Liga dos Campeões com um empate (0-0), com o Atlético de Madrid em jogo da primeira jornada do Grupo B, disputado no Wanda Metropolitano, na capital espanhola. A equipa portuguesa marcou um golo aos 80 minutos, anulado pelo VAR, que promete fazer correr muita tinta.

Em relação ao clássico com o Sporting, que terminou empatado a um golo, o treinador do FC Porto trocou João Mário, Marcano e Bruno Costa por Zaidu, Grujic e Toni Martínez. Dos 24 jogadores que viajaram até à capital espanhola, o jovem guarda-redes Francisco Meixedo foi o único a ficar de fora.

Grujic foi a grande novidade no onze portista. O médio atravessou um período lesionado e entrou apenas no período de descontos no clássico com o Sporting.

Após um arranque morno e longe das balizas, o FC Porto conseguiu ter mais posse de bola nos primeiros minutos, com o Atlético de Madrid a ter dificuldades em construir o seu jogo.

Nos primeiros 20 minutos, os espetadores do Wanda Metropolitano tinham assistido apenas a um lance perigoso para cada lado.

Pouco antes de o relógio bater a meia hora, o FC Porto teve a melhor oportunidade de golo por intermédio de Zaidu. Num contra-ataque rápido, conduzido por Luís Diáz, o avançado fez um passe sublime e largo para Zaidu, que foi desarmado por Kondogbia, no limite, dentro da área. O VAR ainda analisou o lance, mas Ovidiu Hategan mandou seguir.

A segunda parte começou com uma grande oportunidade de golo para a equipa visitante. Aos 50 minutos, o cruzamento-remate de Otávio quase surpreendia Oblak. A bola esbarrou no poste do guardião esloveno, que já vestiu a camisola do Benfica, depois Taremi não conseguiu dominar e Oblak recolheu.

Perto dos 70 minutos, Diogo Costa evitou o golo dos madrilenos. Correa disparou cruzado e o guardião portista esticou-se para uma enorme defesa com a ponta dos dedos.

Aos 80 minutos, o momento polémico da partida, com um golo anulado ao FC Porto. Numa disputa de lance com Oblak, após passe de Otávio, Taremi e Oblk embateram e a bola seguiu para dentro da baliza. O lance foi analisado pelo VAR porque o árbitro considerou que o avançado iraniano desviou a bola com a mão, fazendo com que esta seguisse para a baliza. O jogador do FC Porto tocou com a mão direita na bola, durante a queda, mas tratou-se de um gesto involuntário.

A formação portista acabou reduzida a 10 unidades, por expulsão do congolês Mbemba, aos 90+5 minutos.

No outro jogo do grupo, o Liverpool, próximo adversário do FC Porto, a 28 de setembro, no Dragão, venceu em casa o AC Milan por 3-2, depois de ter estado a perder por 2-1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.