O FC Porto desloca-se esta quarta-feira ao terreno dos franceses do Marselha, treinados pelo português André Villas-Boas, em jogo a contar para a 4ª jornada do grupo C da Liga dos Campeões.

O encontro entre FC Porto e Marselha acontece poucas semanas depois da visita dos franceses ao Estádio do Dragão, onde os dragões venceram por 3-0. O maliano Moussa Marega (04 minutos), o português Sérgio Oliveira (28), de grande penalidade, e o colombiano Luis Díaz (69) marcaram os golos dos 'dragões', numa partida em que o francês Dimitri Payet (10) falhou uma grande penalidade para os franceses.

O jogo desta quarta-feira é de grande importância para os homens de Sérgio Conceição, que podem colocar-se a  apenas um ponto de atingir, pela 12.ª vez, os oitavos de final da Liga dos Campeões, caso voltem a vencer o Marselha e sejam ‘ajudados’ novamente pelo Manchester City.

Histórico de confrontos

Esta é a sexta vez que o FC Porto defronta o Marselha, nunca tendo perdido frente ao emblema do sul de França nos cinco confrontos anteriores. O Marselha esteve presente no caminho azul e branco para a conquista da edição 2003/04 da Liga dos Campeões em futebol, em dois duelos que foram decisivos para ultrapassar a fase de grupos.

Num agrupamento dominado pelo Real Madrid, de Carlos Queiroz, e no qual o Partizan não logrou qualquer triunfo, a chave foram os dois embates entre os comandados de José Mourinho e os gauleses, na terceira e quarta jornadas.

Depois de um empate em Belgrado (1-1) e um desaire na receção aos ‘merengues’ (1-3), num jogo em que o atual treinador Zinedine Zidane fechou a contagem, o FC Porto foi pressionado a Marselha e ainda mais ficou quando, aos 24 minutos, o marfinense Didier Drogba colocou os franceses na frente do marcador.

Os então detentores da Taça UEFA, conquistada em 2002/03 numa final com o Celtic, estavam obrigados a reagir e conseguiram-no, virando o encontro ainda na primeira parte, com tentos de Maniche, aos 31 minutos, e do brasileiro Derlei, aos 35.

A nove minutos do final, o russo Alenitchev reforçou a vantagem dos ‘azuis e brancos’, já de nada valendo aos franceses o golo de Steve Marlet, aos 84. Com o triunfo, o FC Porto ultrapassou na tabela o Marselha (quatro pontos, contra três).

O jogo no Dragão, à quarta jornada, também era muito importante e os ‘dragões’ deram mais um passo decisivo rumo aos ‘oitavos’, ao voltarem a vencer os comandados de Alain Perrin, bastando, desta vez, um tento solitário de Alenitchev, aos 21 minutos.

Os ‘azuis e brancos’ encontraram novamente o clube gaulês numa fase de grupos da Liga dos Campeões quatro anos volvidos, em 2007/2008, e voltaram a impor-se no confronto direto e a atirá-los para a Liga Europa.

O FC Porto deslocou-se mais uma vez a França na terceira jornada e também começou a perder, culpa de um tento de Mamadou Niang, já aos 70 minutos, conseguindo desta vez ‘apenas’ o empate, selado de penálti pelo argentino Lucho González, aos 79.

Duas semanas depois, no Dragão, a formação de Jesualdo Ferreira impôs-se por 2-1, com tentos do marroquino Tarik Sektioiu, aos 27 minutos, e do argentino Lisandro López, aos 78. Pelo meio, aos 47, Niang voltou a bater o brasileiro Helton.

Como já referido, o encontro mais recente entre FC Porto e Marselha aconteceu no início deste mês de novembro, no Estádio do Dragão, para a 3ª jornada da atual edição da Liga dos Campeões, que os 'azuis e brancos' venceram por 3-0.

A luz dos oitavos ao fundo do túnel

Para ficar a apenas um ponto da passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões, o FC Porto tem de vencer o Marselha hoje e esperar que o Manchester City também vença o Olympiacos, de Pedro Martins.

Neste cenário, o City estaria apurado, com 12 pontos - sendo que 10 e o empate são-lhes suficientes -, e o FC Porto ficaria com nove, mais seis do que o Olympicos, de Pedro Martins, e nove face ao ‘onze’ de André Villas-Boas, com apenas seis por disputar.

Para já, e independentemente do City, os portistas têm de fazer a sua parte, que é vencer em Marselha - face a um conjunto sem pontos ou golos (0-7) -, replicando o que lograram na fase de grupos de 2003/04 (3-2), rumo ao título.

Caso falhem o triunfo, mas consigam, pelo menos, repetir o 1-1 da terceira ronda da fase de grupos de 2007/08, também já não será mau, pois garantem que ficam em vantagem pontual face aos gregos e ‘arrumariam’ em definitivo os gauleses.

O FC Porto pode, porém, considerar-se favorito, frente a um conjunto que, por não somar qualquer ponto, já não terá grandes ambições em seguir na prova, mas precisa de um resultado positivo continuar ‘vivo’ na corrida à ‘despromoção’ à Liga Europa.

O que dizem os treinadores

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, considerou que a sua equipa está em "boa posição" para se apurar para os oitavos de final da Liga do Campeões de futebol, mas assumiu "que ainda nada está decidido".

O técnico dos ‘dragões' considerou que os seis pontos conquistados nas três primeiras rondas dão algum conforto aos objetivos da equipa, mas classificou este embate com o conjunto gaulês de "decisivo".

"Esperava ter nove pontos, porque fizemos três jogos, independentemente das equipas que defrontámos. Mas estamos numa boa posição para passar aos oitavos [de final]. O resultado desta partida pode ser extremamente importante nesse sentido", disse o treinador do FC Porto.

Sérgio Conceição mostrou-se consciente de que o Marselha, treinado pelo português André Villas-Boas, ainda sem pontuar neste grupo, já não tem margem de erro para ambicionar uma qualificação, e, por isso, antevê um duelo "com muitas dificuldades" para a sua equipa.

"O Marselha tem aqui, talvez, a última possibilidade de manter a viva a chama de passar aos oitavos. É uma equipa que, se vencer os dois jogos em atraso que tem no campeonato francês, será líder. Só isso diz a dificuldade que vamos ter. Não estou a baixar a expectativa de ir ganhar o jogo a Marselha, mas nada está decidido", vincou o técnico dos ‘dragões'.

Já o treinador português André Villas-Boas considerou que o jogo será um ‘match point’ para o Marselha.

Com três derrotas nos jogos disputados e sem qualquer golo marcado, o Marselha ocupa a última posição do grupo, liderado pelo invicto Manchester City, com nove pontos, e pretende dar a volta à situação na receção ao FC Porto, segundo colocado, com seis.

"O lado emocional é muito importante e pode ser a chave para nós conseguirmos desbloquear alguns aspetos em falta, como a confiança, a agressividade e os golos", disse André Villas-Boas, na conferência de imprensa de antevisão do jogo.

André Villas-Boas, que no estádio do Dragão perdeu por 3-0, espera um FC Porto "em tudo idêntico ao desse jogo, com a mesma organização e jogadores", embora admita algum "fator surpresa" promovido pelo treinador Sérgio Conceição, "talvez ao nível tático".

"O nosso primeiro desafio é bater o FC Porto num aspeto que é muito bom, que é o motivacional", referiu o treinador português, recordando que no Dragão o Marselha teve mais posse de bola, mas faltou-lhe remate, finalização e eficácia.

Arbitragem

O sueco Andreas Ekberg vai arbitrar o jogo entre FC Porto e Marselha. O árbitro de 35 anos e internacional desde 2013, dirigiu em fevereiro passado o encontro entre o Sporting de Braga e os escoceses do Rangers, que ditou o afastamento dos ‘arsenalistas’ da Liga Europa.

O encontro entre o FC Porto e a formação francesa, no qual Ekberg terá como auxiliares os compatriotas Mehmet Culum, e Stefan Hallberg, disputa-se esta quarta-feira, às 20:00, no Estádio Vélodrome, em Marselha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.